Tamanho do texto

Jogadores da seleção brasileira de polo aquático estavam no local, mas não se machucaram

Desabamento em boate na Coreia do Sul deixou atletas feridos arrow-options
Chun Jung-in/Yonhap News
Desabamento em boate na Coreia do Sul deixou atletas feridos

A sacada de uma boate em Gwangju, na Coreia do Sul, desabou na noite desta sexta-feira, em acidente que deixou dois mortos e, pelo menos, 14 feridos. Segundo a agência de notícias corenana Yonhap News, atletas que participam do Mundial de Esportes Aquáticos estão entre os feridos.

Leia também: Brasil leva medalha de prata no 50m livre do Mundial de Esportes Aquáticos

Onze atletas brasileiros estavam na boate da Coreia do Sul e não se machucaram. Eles, inclusive, ajudaram no resgate. 

A informação inicial era de que não haviam brasileiros no local. Depois, porém, o técnico da seleção brasileira de polo aquático , Rick Azevedo, afirmou que alguns jogadores do Brasil estavam de folga e foram à casa noturna.

Os brasileiros acompanhavam atletas de outras seleções que comemoravam o título da seleção feminina dos Estados Unidos.

"Tinham atletas dos Estados Unidos, Holanda, Nova Zelândia e, inclusive, do Brasil. A boate tinha alguns andares, e os jogadores estavam no andar de cima quando aconteceu o acidente. Ninguém ficou ferido gravemente, apenas o atleta americano sofreu um corte na mão", disse Rick ao Globo Esporte .

A cidade de Gwangju sedia a competição desde o último dia 12. Segundo autoridades, há pelo menos nove atletas feridos, sendo seis mulheres. São quatro americanos, dois neozelandeses, um holandês, um italiano e um brasileiro. Todos são atletas de polo aquático, exceto o brasileiro.

De acordo com os bombeiros, os ferimentos não são graves. Sete dos atletas feridos receberam atendimento e já voltaram à Vila Residencial da competição.

Histórico!  Colombiano de 22 anos é o 1º sul-americano campeão da Volta da França

O desabamento ocorreu por volta de 2h30 (horário da Coreia do Sul). Segundo testemunhas, havia mais de 100 pessoas no local — que fica a pouco mais de dois metros do andar inferior — no momento do incidente. As duas vítimas fatais seriam sul-coreanos.

A Federação Internacional de Natação afirmou que está acompanhando a situação de perto e "usará de todas as medidas para que os atletas sejam recebam tratamento e assistência quando for necessário". A Federação lamentou o incidente na Coreia do Sul e desejou o melhor para as vítimas.