Tamanho do texto

Larry Nassar é acusado de ter abusado de pelo menos 100 mulheres e crianças desde 1996, quando ingressou no cargo de médico da seleção

Larry Nassar é ex-médico da seleção de ginástica dos Estados Unidos e entrou no cargo no ano de 1996
Reprodução
Larry Nassar é ex-médico da seleção de ginástica dos Estados Unidos e entrou no cargo no ano de 1996

Acusado por mais de 130 atletas, Larry Nassar, ex-médico da seleção estadunidense de ginástica artística, confessou ter abusado sexualmente de sete garotas. Apesar das centenas de acusações, nesta última quarta-feira (22), foi a primeira vez na qual o homem assumiu ter cometido estes crimes. Desta forma, deve pegar entre 25 e 40 anos de prisão.

LEIA TAMBÉM: Escândalo sexual nos EUA causa demissão do presidente da federação de ginástica

Na corte do Condado de Ingham, estado do Michigan, ele foi julgado na presença de dezenas de vítimas. Na última audiência o ex-médico da seleção alegou estar somente relacionado a crimes de pornografia infantil. No entanto, uma audiência de sentença está marcada para o dia 12 de janeiro de 2018 e enquanto isso, ficará preso em Grand Rapids.

"Agora é hora de mover essa comunidade para frente para curar as feridas - disse Larry Nassar durante o julgamento. "Não tenho animosidade com ninguém. Só quero que essas meninas se curem".

LEIA TAMBÉM: Ainda de uniforme, jogador acompanha filho nascer minutos após brilhar em campo

Crimes

Dr. Larry Nassar atuou na seleção de ginástica dos Estados Unidos por quase três décadas
Reprodução/ CBS
Dr. Larry Nassar atuou na seleção de ginástica dos Estados Unidos por quase três décadas

Em dezembro do ano passado, o FBI encontrou com Nassar mais de 35 mil fotos e vídeos de pornografia infantil. Os advogados do acusado negaram qualquer tipo de irregularidade por parte do profissional.

Nassar atuava como médico da seleção nacional de ginástica desde 1996. Em julho de 2015, a organização o demitiu depois de outras denúncias de possíveis abusos por parte do doutor. A Ginástica dos Estados Unidos declarou nota de esclarescimento e alegou buscar proteger seus atletas e ter contribuído para as investigações.

LEIA TAMBÉM: Técnico do Sevilla é diagnosticado com câncer maligno na próstata

Em janeiro, três ex-ginastas da seleção dos EUA disseram terem sido abusadas sexualmente por Dr. Larry Nassar. Os abusos com Jamie Dantzscher, Jeanette Antolin e Jessica Howard, teriam acontecido enquanto eram adolescentes, durante a década de 1990. Além delas, as atletas McKayla Maroney, Aly Raisman e a tricampeã olímpica Gabby Douglas utilizaram a hashtag #MeToo para denunciar o ex-médico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.