Tamanho do texto

Com o tempo de 1h05m06seg na RAK Half Marathon 2017, Peres Jepchirchir é a mais nova detentora do recorde mundial da meia maratona

A queniana Peres Jepchirchir, campeã da RAK Half Marathon 2017
Reprodução/ RAK Half Marathon
A queniana Peres Jepchirchir, campeã da RAK Half Marathon 2017

A queniana Peres Jepchirchir quebrou nesta sexta-feira (10) o recorde mundial da meia maratona, em Ras Al Khaimah, nos Emirados Árabes Unidos. Ao cumprir os 21,1 quilômetros da 11ª edição da RAK Half Marathon em 1h05m06seg, a atleta entrou para o livro das mais velozes corredoras.

LEIA MAIS: "Trump fez de mim um alien", desabafa bicampeão olímpico

A marca anterior pertencia desde 15 de fevereiro de 2015 à também queniana Florence Jebet Kiplagat. Aos 23 anos, Peres Jepchirchir conseguiu desbancar a compatriota por apenas três segundos e ainda bateu o recorde dos 20 km, com o tempo de 1h01m40s.

"Eu não pensava que poderia quebrar o recorde mundial. Eu estou muito feliz, nem estou acreditando", disse Peres ao "Daily Nation". Depois da vitória, a mais nova recordista não tem planos concretos. "Talvez eu vá para casa, então encontrarei meu agente e ele me dirá o que fazer", continuou.

LEIA MAIS: "Não triste, decepcionado", diz Usain Bolt sobre devolução de ouro olímpico

Em pódio feminino totalmente queniano, atrás de Peres ficaram Mary Keitany (1h05m13s), três vezes campeã da RAK, e Joyciline Jepkosgei (1h06m08s). A terceira colocada teve vantagem de 35 segundos em cima da quarta, Jemima Sumgong, também do Quênia.

RAK Half Marathon 2017
Divulgação/ RAK Half Marathon
RAK Half Marathon 2017

Masculino

O primeiro lugar do pódio masculino ficou com atleta queniano Bedan Karoki. Com 59 minutos e 10 segundos, o campeão da RAK Half Marathon 2017 fez a segunda melhor marca de todos os tempos. O recorde mundial pertence a Zersenay Tadese, da Eritreia, quando completou a prova da meia maratona de Lisboa em 58min23s, em março de 2010.

Bedan Karoki ficou à frente do etíope Yigrm Demelash (59m19s) e de seu compatriota Augustine Choge (59m26s). O terceiro colocado da prova dos homens ainda parabenizou o campeão. "Estou grato por estar neste pódio, parabéns ao meu irmão Bedan pela vitória", disse Choge.

LEIA MAIS: Seis dos oito atletas mais rápidos da história foram pegos no doping

"Essa é uma performance incrível de minha irmã Jepchirchir, uma vez que mostra que sua vitória no Mundial de Meia Maratona em 2016 não foi por acaso. Ela está destinada a coisas boas no futuro", disse Bedan Karoki à campeã queniana Peres Jepchirchir.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.