Tamanho do texto

A polícia investiga a responsabilidade do presidente da Federação Internacional de Downhill na morte de Allyson Pastrana em Mundial no Rio

O skatista Allysson Pastrana durante etapa do Mundial de skate Downhill no Rio
Reprodução
O skatista Allysson Pastrana durante etapa do Mundial de skate Downhill no Rio

O italiano Federico Barboni, presidente da Federação Internacional de Downhill , teve o passaporte apreendido nesta quinta-feira (15) e está impedido de deixar o Brasil, após a morte de um skatista em um campeonato realizado no domingo (11), no Rio de Janeiro.

Leia também: Vinicios Sardi, o skatista sem pernas que encantou Tony Hawk

Na ocasião, o skatista catarinense Allysson Pastrana , de 18 anos, liderava a segunda bateria das quartas de final do Mundial de Skate Downhill, até que foi atingido, na última curva, por uma moto da organização do torneio que subia o percurso na direção contrária, na Estrada da Vista Chinesa.

O jovem foi levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, mas não resistiu aos ferimentos. O corpo de Pastrana foi sepultado na quarta-feira (14), em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul.

Barboni, que é o responsável pelo Mundial de Skate Dowhill, foi ouvido por cinco horas pela polícia, para descobrir se foi ele quem deu a autorização para a moto acessar a pista enquanto os competidores ainda desciam.

Leia também: Confira os 7 melhores lugares para se andar de skate ao redor do mundo

"Há uma divergência entre o depoimento dele [Barboni] e o da empresa organizadora. E vamos procurar os esclarecimentos nos próximos dias", explicou a delegada responsável pelo caso, Cristiana Bento. Um fotógrafo e um dos atletas que disputaram a competição reclamaram da organização do torneio e da falta de segurança no percurso da prova.

Além de Allysson, o americano Daniel Engel e os brasileiros Yan Bertinati e João Pedro Laporte também caíram quando desciam e foram encaminhados para o hospital, mas não correm risco de morte.

Leia também: COI inclui surfe, caratê, beisebol, skate e escalada na Olimpíada de 2020

O skatista Silon Garcia, também brasileiro, vinha na garupa da moto da organização do Mundial de Downhill, mas conseguiu se jogar e evitou o choque. As vítimas foram levadas para o hospital Miguel Couto, o mais próximo do local do evento.

Clique e baixe o 365Scores para ter resultados, dados, notícias, tempo real, vídeos e muito mais


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.