O lutador Greco Ruas de Medeiras Baptista, de 25 anos, preso na madrugada do último domingo acusado de espancar até a morte o psicólogo Jean Louis de Forton Busquet, de 58, afirmou em depoimento à Polícia Civil que cometeu o crime por ciúmes. Segundo as investigações da Polícia Civil, Jean foi assassinado após tentar defender a companheira de Greco. O praticante de lutas acabou preso em flagrante pelo crime por policiais militares do 5º BPM (Praça da Harmonia) e levado para a Delegacia de Homicídios da capital.

Leia também: Wanderlei Silva é atropelado e tem escoriação no rosto

lutador
Reprodução
Lutador afirmou a polícia que cometeu crime por ciúmes


Ainda de acordo com as investigações, Greco não queria permitir que a companheira dele deixasse a casa onde eles estavam. A mulher fez contato com Jean, que era seu padrinho em um grupo para recuperação de dependentes químicos e pediu socorro. O lutador afirmou saber que a companheira e Jean já tinham mantido um relacionamento amoroso. Após o contato da mulher com o psicólogo, Greco passou a agredí-la.

Leia também: Anderson Silva fala do racismo que sofreu e faz cobrança às autoridades

Com a chegada de Jean, os dois homens entraram em luta corporal. Greco deu socos, chutes e cotovaeladas no psicólogo, que chegou a perder alguns dentes. Quando os policiais militares chegaram ao local, a vítima já havia morrido.

Nessa segunda-feira, a Justiça convereteu em preventiva a prisão em flagrante do lutador , que continuará atrás das grades pelo crime. Na decisão que manteve a prisão de Greco, a juíza Monique Correa Brandão dos Santos Moreira citou o “histórico de agressividade” do acusado em relação à companheira.

    Veja Também

      Mostrar mais