Tamanho do texto

Confederação Brasileira quer uma mulher no comando da seleção e o nome mais cotado é o de Pia Sundhage, ex-treinadora de EUA e Suécia

pia sundhage
Reprodução
Pia Sundhage foi treinadora dos EUA e Suécia em Olimpíadas

Nos próximos meses a seleção brasileira feminina pode ter uma mudança de comando. De acordo com a jornalista Gabriela Moreira, do Globoesporte.com , a Confederação Brasileira de Futebol mantém conversas com a treinadora do sub 16 da Suécia, Pia Sundhage.

Leia também:  Veja motivos pelos quais as traves não precisam ser reduzidas no fut feminino

Pia Sundhage tem uma grande história no futebol feminino. Ela é bicampeã olímpica com a seleção dos Estados Unidos e medalha de prata com a Suécia nas Olimpíadas Rio 2016. A treinadora de 59 anos também ganhou em 2012 a bola de ouro da Fifa de melhor técnica.

Segundo a apuração do Globoesporte.com o presidente da CBF , Rogério Caboclo, procurou a treinadora após a eliminação do Brasil na Copa do Mundo de futebol feminino na França e ela está aberta a uma proposta. Os dois se aproximaram depois de um seminário nacional em 2018.

Se Pia Sundhage não aceitar a proposta a CBF continuará buscando uma mulher para assumir o cargo. A permanência de Vadão no comando da equipe é praticamente nula.

Leia também:  Onde será a próxima Copa do Mundo de futebol feminino? Veja interessados

A sueca seria a segunda mulher a comandar o time depois de Emily Lima, hoje treinadora do Santos, que esteve a frente da seleção feminina do Brasil entre 2016 e 2017. Os outros sete treinadores eram homens.