Dentinho e Pedrinho dividem vestiário no Shakhtar Donetsk
Reprodução/Instagram
Dentinho e Pedrinho dividem vestiário no Shakhtar Donetsk

Antes de enfrentar o Real Madrid na quarta-feira (3), pela Champions League, o atacante Dentinho (veja fotos na galeria abaixo), do Shakhtar Donetsk, falou sobre o retrospecto favorável contra o time merengue.


“Me dá sorte (jogos contra o Real). Em 2015, marquei contra eles na Ucrânia, embora tenhamos perdido por 4 a 3. E na temporada passada vencemos os dois jogos e eu marquei um em Kiev. Vamos ver se continua igual, depois de não poder jogar por duas semanas porque me machuquei, estava com muita vontade de atuar”, disse o jogador, em entrevista ao jornal 'Marca', da Espanha.

Dentinho relembrou também quando quase deixou o Corinthians, em 2008, para atuar pelo time espanhol. Na época, o secretário-geral do Real Madrid, Miguel Ángel Portugal Vicario, esteve em um jogo no Pacaembu para acompanhar de perto o desempenho da promessa do Timão.

''Já faz muito tempo e não sei bem porque não saiu, acho que por causa de algumas formas de pagamento, alguns valores. A oferta existiu. Foi em 2008. Eles foram me ver no jogo Corinthians x Paraná, no qual fiz um gol'', contou.

Leia Também

Parceiro de ataque de Ronaldo Fenômeno no Corinthians, Dentinho conta sobre a relação próxima com seu ídolo, o qual o chamam de seu pai por conta de uma certa semelhança.

"Ele é uma pessoa muito importante na minha vida. Cuidou muito de mim no Corinthians e sempre serei muito grato a ele. Fui seu parceiro de ataque na última partida que ele disputou, na Colômbia. Ele foi um grande companheiro e depois um grande amigo. Conversamos muito. Ele me trata como um filho".

"Quando eu era pequeno, diziam que ele era meu pai porque tínhamos dentes semelhantes. Ele sempre se comportou muito bem e eu lhe dizia 'meu pai'. Para mim, ele é o melhor jogador da história. Até machucado era um fenômeno. Você nunca verá algo assim novamente”, completou.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários