Veja detalhes do confronto entre Palmeiras e Tigres pelo Mundial de Clubes
Palmeiras/Tigres/Fifa
Veja detalhes do confronto entre Palmeiras e Tigres pelo Mundial de Clubes

O Tigres venceu o Palmeiras por 1 a 0, com gol de pênalti de Gignac, no Mundial de Clubes de 2020 . A partida teve início às 15h do horário de Brasília, no Estádio da Cidade da Educação, em Doha, no Catar . A arbitragem foi liderada pelo holandês Danny Makkelie, com assistência dos auxiliares Mario Diks e Hessel Seegstra.

WEVERTON BRILHA

A equipe mexicana começou a semifinal do Mundial de Clubes dominando a posse de bola, mas o Palmeiras foi capaz de encontrar espaço na defesa do rival. O Verdão teve uma boa oportunidade aos 2 minutos de jogo, quando Rony correu pelo lado esquerdo e cruzou para a área. O jogador brasileiro estava impedido.

Nos minutos seguintes, o Tigres chegou à área do Palmeiras com perigo. Na cabeçada de González, Weverton brilhou em uma defesa memorável. O Verdão tentou conter o susto com mais posse de bola, apostando em jogadas laterais com Rony. O atacante, entretanto, foi bem marcado pelo lateral Luis Rodríguez, do Tigres.

DOMÍNIO PALMEIRENSE

Aos sete minutos da semifinal, o Palmeiras apostou em uma linha de três zagueiros para facilitar a saída de jogo. Gómez, Luan e Marcos Rocha formaram a defesa, liberando Viña para sair para o jogo. O Tigres esfriou o jogo valorizando a posse de bola, buscando o ataque principalmente pelo lado direito de seu ataque.

O time de Abel Ferreira mudou sua estratégia a partir dos 14 minutos, após um jogo com poucas chances criadas para ambos os lados. O lateral Viña retornou à defesa para formar uma linha de quatro defensores, uma vez que o ataque do Tigres permitia o toque de bola do Verdão. Marcos Rocha passou a apostar em disparadas para quebrar a forte marcação do Tigres, com um belo cruzamento para Rony, que foi interceptado pelo zagueiro Reyes.

Aos 17 minutos, Rony arriscou um belo chute de fora da área. O goleiro Guzmán defendeu, e o rebote voltou para Gabriel Menino, que estava em condição de impedimento. O Verdão aproveitou os descuidos do Tigres para retomar a intensidade em um jogo que estava frio.

Rony teve outra chance clara aos 24 minutos. Com o controle do meio-campo, Raphael Veiga arriscou um lançamento perigoso para o atacante, que já se destacava como o melhor jogador do Palmeiras no primeiro tempo. Esperto no lance, o goleiro Guzmán se antecipou e agarrou a bola. O Palmeiras pouco criou pelo seu lado direito. Tirando o lance em que estava impedido, Gabriel Menino pouco ajudou o Verdão até os primeiros 30 minutos de jogo.

AMEAÇA AÉREA

O Palmeiras continuou controlando o meio-campo. O Tigres recuou suas linhas de defesa, puxando os meio-campistas para a zaga. Em outro lance envolvendo uma jogada individual de Gabriel Menino aos 31 minutos, o time mexicano se defendeu bem com 7 jogadores na área.

O Tigres chegou com perigo aos 33 minutos. Em um cruzamento perigoso do lateral Luis Rodríguez, que superou a marcação de Viña na corrida, Gignac recebeu a bola e chutou para outra grande defesa de Weverton. A equipe mexicana aproveitou que o Palmeiras permitia cruzamentos para alçar a bola à área, mas o goleiro do Verdão continuou atento.

O Tigres passou a gostar da partida, elevando suas linhas de marcação, mantendo a posse de bola e postando os zagueiros no círculo central. O Palmeiras recuou em uma linha formada por 5 defensores, puxando Gabriel Menino – que foi amarelado após falta em Quiñones –  para apoiar Marcos Rocha, Viña, Luan e Gómez.

FIM DA PRIMEIRA ETAPA

Após outro ataque inconclusivo do Tigres, aproveitando descuido de Menino, o Palmeiras saiu no contra-ataque. Rony recebe a bola aos 40, mas a defesa da equipe mexicana acaba tirando em uma falta acidental que não foi marcada pela arbitragem.

O atacante Gignac começou a dar trabalho para a defesa do Palmeiras no final do primeiro tempo. Mesmo com sete jogadores na defesa, o Verdão permitiu que o Tigres chegasse com perigo, tocando a bola. Aos 44 minutos, Aquino recebeu cartão amarelo após entrada dura em Rony.

O primeiro tempo terminou sem maiores destaques por parte do Tigres, por mais que os mexicanos tenham sido mais perigosos quando tiveram a posse da bola. Na equipe do Palmeiras, Weverton e Rony foram os melhores.

Você viu?

BANHO DE ÁGUA FRIA

O Palmeiras voltou para o segundo tempo tentando se impor, mas o meio-campo do Tigres não facilitava a marcação. Abel Ferreira voltou a apostar na linha de três, formada por Gómez, Rocha e Luan, para facilitar a saída de bola de Viña. Nos primeiros minutos, Rodriguez voltou a arriscar de longe, mas a bola saiu sem perigo para Weverton. Luis Quiñones arriscou um cruzamento perigoso aos 4 minutos de jogo, mas o goleiro do Verdão , ligado no jogo, defendeu com facilidade. 

Luan fez uma falta em Carlos González na área do Tigres, e o árbitro holandês marcou pênalti. Gignac bateu firme, Weverton acertou o lado, mas o time mexicano abriu o placar aos 8 minutos do segundo tempo.

CORTOU A BRISA

O Palmeiras sentiu o gol; principalmente o zagueiro Luan, que errou diversos passes. O Tigres encolheu, permitindo que o Verdão tivesse a posse de bola. Aos 11 minutos do segundo tempo, Patrick de Paula entrou no lugar de Zé Rafael e Felipe Melo substituiu Danilo, que estava bem na partida.

Logo após a substituição, o Palmeiras arriscou com Rony, que balançou a rede. A defesa do Tigres, entretanto, avançou e deixou o atacante do Palmeiras em posição de impedimento. Aos 16 minutos de jogo, Willian Bigode entrou no lugar de Gabriel Menino, ficando centralizado com Luiz Adriano, um dos jogadores mais apagados do Palmeiras até então.

Em uma jogada promissora do Palmeiras, no contra-ataque puxado por Felipe Melo, Patrick de Paula acabou ficando em condição de impedimento. O Verdão teve dificuldades com a defesa mexicana, liderada pelos jogadores Reyes e Salcedo.

INVESTIDA ALVIVERDE

O técnico Abel Ferreira apostou em um esquema tático mais ofensivo, colocando o time inteiro no campo do adversário. O Tigres, com o regulamento abaixo do braço, fechou com marcação forte.

O Tigres complementou sua defesa puxando um dos laterais para a zaga, colocando dois alas para puxar o contra-ataque. Gignac chegou a sair livre na frente da defesa do Verdão, mas não conseguiu concluir a jogada.

Em mais uma substituição, o técnico Abel Ferreira colocou Scarpa e Mayke para jogo, tirando Marcos Rocha e Raphael Veiga.

O Palmeiras passou a apostar nos escanteios, que foram retirados com facilidade pela defesa do Tigres. Aos 30 minutos, Luiz Adriano furou a bola que ia na direção do gol. O balão saiu sem perigo.

Nos minutos seguintes, o Verdão aceitou o ritmo de jogo do Tigres. Mesmo com jogadores habilidosos, como Patrick de Paula e seus chutes de longe, o Verdão caiu no jogo da equipe mexicana.

Em pouco tempo, o técnico do Tigres , Tuca Ferretti, colocou Meza e Fulgencio no lugar dos titulares Quiñonez e Dueñas. A equipe mexicana continuou garantindo controle do meio de campo, dificultando os toques do Palmeiras. Aos 43 minutos, o goleiro do Tigres, Guzmán, fez uma fria defesa em chute de Scarpa. O juiz deu seis minutos de acréscimo.

Durante atendimento de um jogador do Tigres , o time de Tuca Ferretti tirou o meia Aquino para colocar o volante Sierra. O Palmeiras teve mais posse de bola, mas com os meias alocados na área, teve dificuldades de passar pela dura marcação do Tigres. Em chance clara, Viña chutou de fora. A bola bateu e Rayes e saiu. 

O Tigres enfrentará o vencedor de Bayern de Munique e Al Ahly – a outra semifinal do Mundial de Clubes que acontecerá amanhã (7) – na próxima quinta-feira (11). O Palmeiras  irá disputar o terceiro lugar, e retorna para o Brasil, onde cumprirá seus compromissos no Campeonato Brasileiro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários