Messi
Getty
Messi

A espera tensa durante toda a manhã desta sexta-feira por um pronunciamento de Messi sobre a sequência da carreira foi um banho de água fria nos torcedores do Barcelona.

Em declaração, assinada por Jorge Messi, pai e representante de Leo, nada foi falado sobre a sequência ou não no Barcelona. O comunicado faz apenas referência ao que Liga disse dias atrás, garantindo que Messi só poderia sair do Barça se pagasse a multa de 700 milhões. 

Diante da posição da La Liga, Jorge Messi, pai do jogador, enviou esta manhã uma carta a Javier Tebas, presidente da Federação, para refutar a declaração.

"Não sabemos qual é o contrato que analisaram e quais são as bases sobre as quais concluem que teria uma 'cláusula de rescisão' aplicável caso o jogador decida pela rescisão unilateral do mesmo, com efeitos a partir da rescisão da temporada de esportes 2019/20", iniciou.

O escritório de advocacia no comunicado assinado pelo pai de Messi considera que LaLiga cometeu "um erro óbvio" e fornece o parágrafo do contrato que é objeto de polêmica que diz: "Esta compensação não se aplicará quando a resolução do contrato por decisão unilateral do jogador entra em vigor a partir do final da temporada esportiva 2019-20 ”.

Portanto, eles concluem que "a compensação da cláusula de 700 milhões não se aplica de forma alguma".

Em sua nota anterior , a associação presidida por Javier Tebas afirmou que após a revisão do contrato, ele "está atualmente em vigor e tem uma cláusula de rescisão aplicável no caso de Lionel Messi decidir solicitar a rescisão unilateral antecipada do contrato." A LaLiga anunciou ainda que “não realizará o processo de visto prévio para a saída do jogador da federação se este não tiver pago previamente o valor da referida cláusula”.

    Veja Também

      Mostrar mais