Tamanho do texto

Ex-Barcelona entrou no segundo tempo na partida contra o Krasnodar e torcida pediu que clube respeitasse "tradição" de não contratar negros

Lance


malcom arrow-options
Reprodução/Twitter/Zenit
Malcom estreou pelo Zenit e foi alvo de racismo por parte da própria torcida

Contratado nesta semana pelo Zenit , o brasileiro Malcom fez sua estreia pelo novo clube neste final de semana, contra o Krasnodar, em uma partida que terminou empatada por 1 a 1. No entanto, o que poderia ser um dia de alegria para o atacante, se tornou um dia para esquecer, graças a própria torcida local.

Leia também: Barcelona confirma contratação de lateral que já xingou Messi de "rato de m..."

Malcom entrou apenas na etapa final e atuou por 18 minutos, mas foi o suficiente para ver a torcida organizada do Zenit estender uma faixa de cunho racista onde dizia 'Respeitem nossas tradições', no intuito de manter a equipe sem jogadores negros.

"Nós não somos racistas e para nós a ausência de jogadores negros é apenas uma tradição importante, enfatizando a identidade do clube e nada mais. Nós, como o clube mais setentrional das principais cidades europeias, nunca nos conectamos mentalmente com a África, como na América do Sul, na Austrália ou na Oceania. Não temos absolutamente nada contra os habitantes destes e de quaisquer outros continentes, mas ao mesmo tempo queremos que os jogadores de espírito próximo joguem no Zenit", disse a organizada do Zenit em um comunicado publicado na internet.

Leia também: Técnico do United diz que 'não tem dúvidas' que Pogba deseja continuar no time

Além de Malcom , o Zenit conta com outro jogador negro e brasileiro, o lateral-esquerdo Douglas Santos que, inclusive, marcou um gol contra nesta partida contra o Krasnodar.

    Leia tudo sobre: futebol