Tamanho do texto

Equipe da capital francesa cedeu empate por 2 a 2 ao Rennes na final da Copa da França e acabou perdendo nas penalidades

Neymar marcou um golaço de cobertura para o PSG
Twitter/Reprodução
Neymar marcou um golaço de cobertura para o PSG

O PSG vacilou neste sábado jogando no Stade de France, em Paris, e perdeu o título da Copa da França diante do Rennes nas penalidades por 6 a 5. O jogo no tempo normal e na prorrogação terminou empatado em 2 a 2, sendo que os parisienses chegaram a abrir 2 a 0 no marcador.

Leia também: Com apenas 10 minutos em campo, argentino é considerado campeão francês

Foi o terceiro título do Rennes na história da competição. O PSG , que era o atual tetracampeão, é o maior vencedor da Copa da França com 12 conquistas.

Bastante superior ao adversário, o PSG foi pra o intervalo vencendo. Aos 13 minutos, Neymar cobrou escanteiro da esquerda e Daniel Alves, de primeira da entrada da área, acertou um lindo chute no canto para abrir o placar. Um golaço!

Aos 20, Di María deu para Neymar entre os zagueiro, o camisa 10 dominou na frente do goleiro Koubek e acertou um toque de classe por cobertura. Outro golaço dos parisienses. 

O PSG teve chances para fazer mais gols com Neymar e Mbappé, mas não conseguiu. Já o Rennes acertou a trave de Areola com Niang e, aos 39, diminiu com gol contra de Kimpembe, que tentou cortar cruzamento de Traoré e marcou contra o patrimônio.

No segundo tempo, o Paris Saint-Germain seguiu melhor em campo e pressionando demais o adversário, mas falhando nas conclusões.

O castigo veio aos 20 minutos. Depois de parar em duas excelentes defesas de Areola, o Rennes buscou o empate com o defensor Mexer, que marcou de cabeça após batida de escanteio pela esquerda.

O PSG buscou o terceiro gol de todas as maneiras no restante da etapa inicial, sem sucesso. 

O duelo foi para prorrogação e o técnico Thomas Tuchel resolveu colocar Cavani no jogo. Lembrando que o uruguaio se recuperou de lesão recentemente e não aguentaria atuar por muitos minutos.

Leia também: Neymar é suspenso pela UEFA e desfalcará o PSG na próxima Champions

A melhor chance foi de Mbappé, que acertou a trave após boa jogada de Neymar. No final do tempo extra, o atacante francês acabou sendo expulso por falta dura e desfalcou o time parisiense nas penalidades.

Nos pênaltis, Niang, Ben Arfa, Grenier, Siliki, Bensebaini e Sarr fizeram para o Rennes. Pelo lado do PSG, Cavani, Daniel Alves, Paredes, Bernat, Neymar marcaram, enquanto Nkunku isolou, mandando por cima do gol. Título do Rennes garantido.

Neymar nunca foi campeão no PSG como titular

Neymar fez um belo gol no jogo contra o Rennes na final da Copa da França
Twitter/Reprodução
Neymar fez um belo gol no jogo contra o Rennes na final da Copa da França

Neymar perdeu a chance de ser campeão pela sexta vez em duas temporadas com a camisa do PSG. Seria a primeira como titular. Nas outras cinco conquistas, o camisa 10 sempre esteve lesionado - ou voltando de lesão. 

No início da atual temporada, o PSG faturou o troféu da Supercopa da França ao bater o Monaco em duelo disputado na China, no dia 4 de agosto de 2018. Neymar começou no banco de reservas, entrou durante o segundo tempo e atuou por apenas 14 minutos.

Na semana passada, o PSG garantiu o título do Campeonato Francês sem entrar em campo, já que o Lille havia empatado seu jogo horas antes. Na partida de festa diante do Monaco (vitória por 3 a 1), Neymar começou no banco e entrou no intervalo.

Na temporada 2017/2018, o brasileiro estava machucado nas ocasiões que o Paris Saint-Germain conquistou três títulos. Na final da Copa da Liga Francesa também contra o Monaco e no dia que o time garantiu matematicamente a taça do Campeonato Francês, o atleta estava no Brasil se recuperando de uma cirurgia no pé.

Leia também: PSG vende mil camisas com imagem da catedral de Notre Dame em 30 minutos

Já no título da Copa da França da temporada passada, Neymar estava no estádio apenas como espectador na vitória sobre o Les Herbiers, ainda se recuperando da lesão.

Desde que chegou ao PSG , Neymar disputou 55 dos 107 jogos da equipe nesse período, o que equivale a pouco mais da metade, 51%. O brasileiro fez 49 gols.

    Leia tudo sobre: Futebol