Tamanho do texto

Por pressão familiar e problemas de relacionamento em seu primeiro clube profissional, o Metz da França, o togolês teve momentos ruins

**Este texto contém detalhes de uma tentativa de suicídio, se você é sensível ou possui algum tipo de gatilho não é recomendada a leitura

Em entrevista ao jornal inglês Daily Mail, o ex-jogador do Arsenal, Emmanuel Adebayor, revelou que quase tirou sua própria vida quando tinha 16 anos e estava no começo de sua carreira no futebol.

Leia também:  Associação de jogadores anuncia seleção da Premier League; veja a lista

adebayor no arsenal
Getty Images
Emmanuel Adebayor defendeu o Arsenal, Tottenham, Manchester City e Crystal Palace na Inglaterra

Natural do Togo, Adebayor se mudou para a França com 15 anos para defender o Metz, time da segunda divisão da Ligue 1, e contou que tinha uma pressão muito grande de sustentar a família.

“Eu tinha 16 anos. Tudo o que eu queria fazer era ajudar minha família, mas eles me pressionavam muito. Eu não consegui lidar com isso. Quando uma família é pobre, todo mundo é pobre e existe uma enorme solidariedade. As pessoas vão levar uma bala por você, mas quando alguém faz isso, é como se você devesse a todos”, falou o ex-atleta.

Adebayor contou que recebia cerca de três mil libras por mês no Metz e sua família pediu na época uma casa no valor de 500 mil euros ao clube, o que acabou causando um estrese com a diretoria.

“Eu me lembro de sentar na minha cama uma noite e pensar ‘O que eu estou fazendo aqui? Ninguém está feliz comigo, então, qual é o sentido de viver?’”. A partir daí, Adebayor narra como foi sua tentativa de suicídio.

Leia também:  Clubes europeus defendem sistema de rebaixamento na Liga dos Campeões

“Havia uma farmácia abaixo do meu apartamento, eu comprei pacote após pacote de comprimidos. Eles não queriam vender para mim, mas eu disse que era para uma instituição de caridade no Togo. Fiz os preparativos, bebi toda a água. Eu estava pronto para ir”.

“Então eu liguei para o meu melhor amigo à meia-noite. Ele me disse para não me apressar, que eu tenho coisas para viver. ‘Você tem potencial para mudar a África’. Ele me tirou do momento. Pensei que Deus deveria estar guardando alguma coisa para mim”, finalizou.

adebayor em mônaco
Reprodução
Adebayor teve destaque no time do Mônaco que se classificou para a final da Liga dos Campeões de 2004

Depois de sair do Metz, Adebayor assinou com o Mônaco e fez parte do time que se classificou para a final da Liga dos Campeões de 2004 e perdeu o título para o Porto. Em 2006 ele se transferiu para o Arsenal e voltou a disputar a final da Champions. Novamente perdeu, dessa vez para o Barcelona.

O togonês ainda defendeu o Manchester City, Tottenham e Crystal Palace na Inglaterra. Também vestiu a camisa do Real Madrid, vencendo a Copa do Rei de 2010/11, e atualmente está no Istanbul Basaksehir FK da Turquia.

Leia também: Inter de Milão impõe condição para tirar Alexis Sánchez do Manchester United

Emmanuel Adebayor está com 35 anos e é um dos símbolos da seleção do Togo. Na equipe desde 2006, ele sobreviveu a um atentado ocorrido em 2010 pouco antes da Copa das Nações Africanas em que o ônibus do time foi metralhado por um grupo rebelde. O atacante se ausentou por um ano, mas voltou a defender a seleção em 2011.