Tamanho do texto

Agentes do Paris Saint-Germain dividiam os atletas de acordo com a origem étnica. Clube informou que tomará medidas para combater o racismo

PSG
Nike/Divulgação
PSG

O Paris Saint-Germain (PSG) foi multado nesta semana em 100 mil euros pela comissão disciplinar da Liga de Futebol Profissional da França, após ser confirmado que o clube praticou  racismo para selecionar atletas para as categorias de base.

Leia também: Racismo: Jogadora do Tottenham afirma que rival imitou macaco durante partida

O ex-diretor do centro de formação de jogadores do clube Bertrand Reuzeau foi multado em 10 mil euros, já Marc Westerloppe e Pierre Reynaud, que eram os líderes da área de recrutamento do PSG em diversos países, foram multados em 5 mil euros cada pela prática clara de racismo .

Segundo os dados divulgados em novembro pela plataforma "Football Leaks", alguns agentes catalogaram quatro "graduações" de acordo com a origem étnica do atleta para avaliar os jovens candidatos: "francês", "do norte da África", "das Antilhas" e "africano".

Neste método, baseado na etnia do adolescente, o PSG vetou em 2014 a contratação do meio-campista Yann Gboho, que hoje é jogador da seleção francesa sub-17.

Leia também: Zagueiro do Napoli 'lamenta' ter que ser um símbolo na luta contra o racismo

O atleta, nascido na Costa do Marfim, é negro e defende atualmente o time B do Rennes. Gboho, na época, tinha 13 anos e suas atuações no FC Rouen teriam chamado a atenção de um dos agentes do PSG, Serge Fournier.

Segundo Marc Westerloppe, que na época era o líder da área de recrutamento do clube em diversos países, o PSG orientou ele para "equilibrar a diversidade", por ter "muitos atletas de origem das Antilhas e africanos" na equipe.

"A Direção Geral do clube nunca teve conhecimento de um sistema de registro étnico dentro de um departamento de recrutamento nem o autorizava. Em vista das informações mencionadas, essas formas traem o espírito e os valores do Paris Saint-Germain", afirmou o clube em um comunicado.

Leia também: Ministro italiano compara racismo contra Koulibaly com "brincadeiras saudáveis"

O time francês também informou que já está tomando medidas para combater o racismo dentro do PSG, entre elas, a elaboração de um outro método de recrutamento de jogadores para as categorias de base focado no comportamento e habilidade do atleta.

    Leia tudo sobre: Futebol