Tamanho do texto

COI, Fifa, Uefa, organizadores de Rolland Garros e várias outras entidades se comprometeram em reduzir emissões poluentes em eventos desportivos

Condições da neve são um dos pontos indicados pelo COI de como o esporte sofre com as mudanças climáticas
Alexander Hassenstein/Getty Images
Condições da neve são um dos pontos indicados pelo COI de como o esporte sofre com as mudanças climáticas

Nesta terça-feira (11), durante a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas – COP24, os três maiores órgãos reguladores de competições esportivas pelo mundo se comprometeram a colaborar com os cuidados com o clima.

Leia também:  Jovem britânico gasta fortuna para se parecer com David Beckham. Veja

Representantes do Comitê Olímpico Internacional (COI), a Fifa e a Uefa estavam presentes na Conferência sobre as mudanças climáticas , em Katowice, na Polônia, e concordaram em reduzir as emissões poluentes dos eventos desportivos.

O príncipe Alberto II de Mônaco, que é presidente da Comissão de Sustentabilidade e Legado do COI, comentou sobre o acordo. “O desporto tem uma posição única para conduzir a ação climática global e encorajar multidões a juntarem-se à causa”.

O presidente do COI , Thomas Bach também ressaltou a preocupação da entidade com as questões climáticas. “Enfrentar a mudança climática é responsabilidade de todos, e o COI trata isso com muita seriedade – como organização, como proprietário dos Jogos Olímpicos e como líder do Movimento Olímpico”.

Entidades que regulamentam outros esportes como surf, automobilismo, vela e rugby também se associaram a causa de sustentabilidade debatida na COP24 . Além dos comitês de Tóquio 2020, Paris 2024 e os organizadores de Roland Garros.

Um caso em especial chama a atenção nesse time esportivo que luta pela sustentabilidade: o clube de futebol Forest Green Rovers. A equipe de Nailsworth, Reino Unido, tem uma preocupação central com a preservação do meio ambiente.

Leia também:  Paysandu dará ingressos grátis para torcedores de baixa renda, em 2019

Pelo empenho e dedicação da agremiação, o presidente da equipe, Dale Vince, recebeu um prêmio Momentum for Change, entregue na Conferencia do Clima. O Forest Green Rovers é a primeira e única equipe de futebol do mundo a ser neutro em carbono.

A equipe inglesa, Forest Green Rovers, foi premiada na Conferência sobre Mudanças Climáticas por seu empenho com meio ambiente
Reprodução
A equipe inglesa, Forest Green Rovers, foi premiada na Conferência sobre Mudanças Climáticas por seu empenho com meio ambiente

Em entrevista durante o evento na Polônia, Vince falou do trabalho da equipe. “Trabalhando com a FGR, pensamos que poderíamos alcançar um novo público de pessoas – pessoas que nunca foram tocadas por mensagens ecológicas no passado”, comentou.

Ele diz que a junção entre futebol e meio ambiente não é muito usual, mas os números que o Forest conquistou são impactantes. “Chegamos a 3,5 bilhões de pessoas apenas no último ano através de nossa mensagem e nos engajamos muito com outros clubes e organizações esportivas em todo o mundo, por isso tem sido um grande sucesso”, comemorou Vince.

Pelo crescimento de seu projeto, a equipe é uma das lideranças do projeto Sports for Climate Action, o acordo assinado por todas as entidades nesta terça-feira.

Leia também:  Brasil é bronze no Mundial de Natação e César Cielo bate recorde de medalhas

A Cúpula sobre as mudanças climáticas da ONU começou no dia 02 de dezembro e termina na próxima sexta-feira (14). Um dos itens mais importantes do evento é a finalização do Programa de Trabalho do Acordo de Paris, um documento que conta com diversos países em se empenhar e limitar o aumento das temperaturas globais a 1,5ºC.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.