Tamanho do texto

Caso de Sterling é o segundo em uma semana. No último domingo, uma banana foi atirada da torcida do Tottenham em direção a Aubameyang

Raheem Sterling durante o jogo contra o Chelsea
Reuters
Raheem Sterling durante o jogo contra o Chelsea

Nem tudo sobre a vitória do Chelsea por 2 a 0 contra o Manchester City, neste sábado (08), é motivo de comemorações. Durante a partida, o atacante Raheem Sterling foi vítima de racismo no Stamford Bridge.

Leia também:  Sozinho, Messi tem mais gols de falta do que vários clubes europeus. Veja

Câmeras de televisão flagraram o momento em que Sterling saiu do gramado para recuperar a bola e diversos torcedores do Chelsea o insultaram. Em ângulos mais aproximados é possível ver os rostos dos agressores e como o atleta parece incomodado com o que ouve.

Logo depois da partida, a Polícia de Londres deu início a uma investigação sobre os insultos racistas contra Sterling. A mesma atitude foi tomada pela diretoria do Chelsea, que anunciou que tomará providências quanto aos torcedores que aparecem no vídeo.

O caso também ganhou repercussão entre atletas de outras equipes. O ex-jogador do Manchester United, Rio Ferdinand, postou um vídeo no Twitter e questionou “vamos continuar permitindo esse tipo de comportamento racista?”.

Ian Wright, ex-jogador do Arsenal e produtor de um documentário sobre racismo no futebol inglês, também se posicionou. “Os velhos e maus tempos voltaram. O Chelsea tem que ter vergonha desse fã racista. Não há dúvidas sobre o que ele disse”.

Neste domingo, em sua conta do Instagram, Sterling se posicionou sobre o ocorrido. O jogador de 24 anos disse que não é uma pessoa que fala muito, mas que precisa colocar seu ponto de vista.

Leia também:  Seleção brasileira conhece adversárias na Copa do Mundo de futebol feminino

Para Sterling, a mídia inglesa está ajudando a “alimentar o racismo” pela forma como trata jovens jogadores negros em suas publicações. O camisa 07 postou duas manchetes do Daily Mail para exemplificar.

As duas matérias falam sobre jogadores terem comprado casas. Na manchete de Tosin Adaranbioyo, atleta negro de 21 anos, está escrito que ele gastou 2,25 milhões de libras em uma propriedade “apesar de nunca ter iniciado um jogo da Premier League”.

Em contrapartida, o título para a matéria de Phil Foden, atleta branco do Manchester City , revela que ele comprou uma casa de dois milhões de libras para a mãe e que “tem criado um futuro”.

Visualizar esta foto no Instagram.

Good morning I just want to say , I am not normally the person to talk a lot but when I think I need my point to heard I will speak up. Regarding what was said at the Chelsea game as you can see by my reaction I just had to laugh because I don’t expect no better. For example you have two young players starting out there careers both play for the same team, both have done the right thing. Which is buy a new house for there mothers who have put in a lot of time and love into helping them get where they are, but look how the news papers get there message across for the young black player and then for the young white payer. I think this in unacceptable both innocent have not done a thing wrong but just by the way it has been worded. This young black kid is looked at in a bad light. Which helps fuel racism an aggressive behaviour, so for all the news papers that don’t understand why people are racist in this day and age all i have to say is have a second thought about fair publicity an give all players an equal chance.

Uma publicação compartilhada por Raheem Sterling x 😇 (@sterling7) em

Em seu texto, Sterling faz questão de mostrar que essa distinção é prejudicial. “Veja como os jornais transmitem sua mensagem para o jovem jogador negro e depois para o jovem jogador branco. Eu acho que isso é inaceitável, ambos inocentes, não fizeram nada de errado, mas pelo modo como foi redigido, esse jovem negro é visto sob uma luz ruim, o que ajuda a alimentar o racismo e o comportamento agressivo”, pontuou.

Marcada na postagem de Rio Ferdinand, a Premier League não se posicionou. Um porta-voz da Federação Inglesa, no entanto, disse que as alegações de discriminação têm sido levadas a sério e que a entidade trabalhará com os clubes e autoridades para que o assunto seja tratado adequadamente.

Sterling é o segundo a sofrer com o racismo em uma semana. No domingo, em partida entre Arsenal e Tottenham,  uma banana foi lançada em direção a Aubameyang depois que o jogador abriu o placar.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.