Tamanho do texto

Em entrevista, o meio-campista falou também sobre a qualidade do futebol japonês e como faz para assistir os jogos do seu clube do coração

Andrés Iniesta sendo apresentado como reforço do Vissel Kobe, do Japão
Reprodução/Twitter/J_League
Andrés Iniesta sendo apresentado como reforço do Vissel Kobe, do Japão

Apresentado em maio pelo Vissel Kobe, clube da primeira divisão do Japão, o meio-campista Andrés Iniesta falou sobre o Barcelona, Arthur e a qualidade do futebol no Oriente em entrevista para programa El Transisto.

Leia também: Iniesta explica saída do Barcelona e relembra 'briga' com Cristiano Ronaldo

Questionado se poderia um dia voltar a vestir a camisa do Barça, seu clube de coração, Iniesta deixou a possibilidade no ar.

"Ninguém sabe o futuro, mas, se eu voltar, tem que ser porque estou capacitado para tal, não pelo meu nome no clube", disse o meia, que ressaltou sua vontade de ainda trabalhar na equipe. "Seria muito bonito, mas ainda falta muito tempo para acontecer".

Caso volte, o espanhol vai se deparar com o brasileiro Arthur vestindo a camisa número 8, que era a sua, mas o meio-campista afirmou que torce para o garoto manter a numeração por bastante tempo.

"Ele está muito bem e pode render mais. Temos de levar em conta o fato dele ser jovem e ainda estar em processo de adaptação. Espero que ele mantenha a 8 por muito tempo, pois seria bom para ele e para o time".

Leia também: Iniesta explica saída do Barcelona e relembra 'briga' com Cristiano Ronaldo

Com oito horas de diferença de fuso para a Espanha, Iniesta teve que lutar contra o sono para assistir o clássico entre Barcelona e Real Madrid.

"Vi o clássico em casa. Eram meia noite e quinze e só continuei assistindo porque era a partida que era".

Por fim, o meio-campista comentou o que tem achado sobre a qualidade do futebol japonês. O espanhol se disse surpreso com o nível apresentado, e que era isso que ele buscava quando deixou o Barça.

Leia também: "Se Iniesta se chamasse Andresinho, teria duas Bolas de Ouro", diz Sergio Ramos

"A competitividade no Japão me surpreendeu positivamente no nível técnico e físico", revelou. "Quando saí do Barça, a ideia era seguir competindo de alguma maneira. Não ao nível da Europa, mas com um bom nível, e é o que venho encontrando aqui", finalizou Iniesta.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.