Tamanho do texto

Sergio Ramos elogiou compatriota espanhol e fez brincadeira com apelido de brasileiros

Andrés Iniesta, jogador do Barcelona
Reprodução
Andrés Iniesta, jogador do Barcelona

Depois da revista France Football ter se desculpado com Andrés Iniesta por nunca ter entregado o prêmio Bola de Ouro ao jogador, foi a vez de Sergio Ramos falar sobre o meia do Barcelona. O espanhol justificou a falta do galardão do compatriota com uma brincadeira com os apelidos de atletas brasileiros, no diminutivo.

Leia também: "Pelo resto da vida": Iniesta assina contrato vitalício com o Barcelona; confira

"Se  Iniesta  se chamasse Andrésinho, teria duas Bolas de Ouro. Somos todos culpados. Valorizamos pouco os de casa e muito os de fora", afirmou Sergio Ramos. O zagueiro do Real Madrid não é o primeiro a fazer referência aos brasileiros. Em 2006, Samuel Eto'o discursou algo parecido depois de perder o prêmio de melhor jogador para Ronaldinho.

"Se eu me chamasse Eto'ozinho, seria cem vezes mais reconhecido", disse o camaronês, que na ocasião, atuava pelo Barcelona . "Não reclamo quando dizem que Samuel Eto'o é o terceiro jogador da Fifa, pois me considero o primeiro. Estou orgulhoso", completou.

Leia também: No Brasil, figurinhas do álbum da Copa são as mais baratas do mundo

Pedido de desculpas da France Football

Iniesta é o terceiro colocado do Balon D'Or 2012
Reprodução
Iniesta é o terceiro colocado do Balon D'Or 2012

Todos os anos, a revista  France Football  entrega o prêmio  Bola de Ouro ao melhor jogador da temporada. Mas desta vez, pediu desculpas a Andrés Iniesta por nunca ter entregado-lhe o galardão. Com o título "Perdão, Iniesta", um editorial da publicação ressaltou a importância do jogador perante a parceria com Lionel Messi no Barcelona.

"É o melhor distribuidor de bolas de todos os tempos. A maior parte de seus contemporâneos complicam vida, mas ele impressiona há 15 dias, simplifica tudo o que faz. O talento de Iniesta é criar o jogo para os outros. Sem ele, Messi teria se fatigado muito mais rápido no Barcelona", escreveu o diretor de redação da  France Football , Pascal Ferré.

Leia também: Após atrito com Arshavin, brasileiro do futebol cazaque quer ir para Copa

"O Sr. Iniesta demonstrou que é o cérebro e, sem dúvida, o músculo essencial dos campeões fora de série. Seu talento é inventar. Um altruísmo que certamente o privou de um reconhecimento ainda mais majestoso, como foi no Bola de Ouro, que deixou escapar em 2010 (segundo lugar) e 2012 (terceiro). Entre as grandes ausências dos Bola de Ouro, a dele é a mais dolorosa. A menos que uma grande atuação na Rússia permita reparar essa anomalia democrática", completou.

Clique e baixe o 365Scores para ter resultados, dados, notícias, tempo real, vídeos e muito mais