Tamanho do texto

Atleta que abandonou a carreira de judoca profissional por ter revelado sua opção sexual admite que existem gays não assumidos dentro do futebol

Ex-judoca Marc Fortuny disse que jogadores homossexuais do futebol não se assumem por medo
MARCA/REPRODUÇÃO
Ex-judoca Marc Fortuny disse que jogadores homossexuais do futebol não se assumem por medo

O judoca espanhol Marc Fortuny decidiu encerrar sua carreira como esportista profissional por ter assumido sua homossexualidade. E quando revelou ser gay, questionou por qual motivo não existem jogadores homossexuais no Campeonato Espanhol.

Leia também: Grupo paramilitar impedirá carícias entre gays durante a Copa do Mundo

"Por favor! Ninguém se questiona por qual motivo existem 600 jogadores no Espanhol e não há jogadores homossexuais ?", disse Fortuny em entrevista ao jornal Marca.

"Não entendo. Há muitos tabus, os jogadores têm medo de não serem mais pretendidos pelos clubes, existe muita pressão. E também pela imagem, porque ser homossexual é, por norma, associado a algo negativo", completou.

Quando ainda estava em atividade, o agora ex-judoca conquistou seis medalhas de ouro em torneios nacionais na Espanha.

"Tive que deixar o esporte de elite porque não estava bem e precisava de uma pausa para refletir e dar um passo à frente no campo mais pessoal. Estava fazendo algo que fiz a minha vida toda, mas alguns dias pareciam uma autêntica tortura. Era muito duro. Foi um pouco por tudo. Não estava bem", revelou.

Leia também: Jogador faz comentário homofóbico na internet: 'Gays irão para o inferno'

"Já sabia que era homossexual e não conseguia conviver com isso. Não me sentia capaz de continuar a competir, de estar no mundo do judô e aceitar quem sou. Não me via capaz de continuar competindo, de continuar no mundo do judô e aceitar quem sou. Por isso, decidi sair e ser eu mesmo", avaliou Fortuny.

Ex-judoca Marc Fortuny disse que jogadores homossexuais do futebol não se assumem por medo
Reprodução
Ex-judoca Marc Fortuny disse que jogadores homossexuais do futebol não se assumem por medo

Ele ainda esclareceu que optou por deixar o judô por este ser um esporte de muito contato físico. "Sentia que podia incomodar alguém. Pensava que se e contar a algum dos meus colegas, no próximo combate alguém vai achar que estou tocando ou a olhando de forma diferente", finalizou.

Leia também: Bellerin revela sofrer insultos homofóbicos no Arsenal: "Me chamam de lésbica"

E você, internauta? Acha que os jogadores homossexuais deveriam assumir sua orientação, independente do preconceito que pode acontecer? Deixe sua mensagem no campo de comentários abaixo.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.