Tamanho do texto

Segundo jornal britânico, Cristiano admitiu a seus advogados que Kathryn teria dito as palavras 'pare' e 'não' durante a relação sexual, em Las Vegas.

Kathryn Mayorga diz que foi estuprada por Cristiano Ronaldo
Der Spiegel / Reprodução
Kathryn Mayorga diz que foi estuprada por Cristiano Ronaldo

Com as novas informações sobre o caso circulando na Inglaterra, Cristiano Ronaldo se defende da acusação de estupro pelas redes sociais. Segundo o jornal The Sun , o craque português teria admitido aos seus advogados que Kathryn Mayorga , norte-americana que relatou o estupro, pediu para que ele parasse.

Leia também:  Meia Modric diz que clima nos vestiários do Real Madrid não está bom 

Em sua conta oficial do Twitter, o Cristiano Ronaldo se defende da acusação e disse que não irá ‘alimentar uma espetáculo midiático’ montado por quem quer se promover às suas custas.


A publicação britânica teve acesso aos documentos legais do caso e diz que, em conversas com a equipe jurídica, CR7 teria admitido que a mulher disse ‘não’ e ‘pare’ durante o sexo. “A equipe havia anteriormente submetido perguntas escritas a CR7 sobre o que exatamente aconteceu entre ele e Mayorga“, conta o jornal. Cristiano Ronaldo é acusado de estupro em Las Vegas, no ano de 2009.

Em outro questionário dos advogados , Cristiano respondeu que o sexo foi consensual e que não houve nenhuma indicação de que ela não estava bem com isso durante ou depois do ato.

O caso voltou à tona quando a revista alemã Der Spiegel publicou na semana passada o  depoimento de Kathryn sobre um pagamento de US$ 375 mil (cerca de R$ 1, 45 milhão no câmbio atual) por seu silêncio. Segundo ela, o dinheiro foi aceito porque temia por si e pela família.

Em sua defesa, Cristiano disse que o caso é fake news’ e que as pessoas estão usando seu nome para obter fama. Em transmissão ao vivo o jogador disse ser ‘um homem feliz’ e estar bem com a situação.

No ano da acusação, o site “ Football Leaks ” tinha vazado os documentos oficiais do processo. É possível ler nos autos que Cristiano Ronaldo trocou mensagens com seu advogado, Carlos Osório de Castro, pedindo a redução do valor do acordo para que o caso fosse encerrado. Inicialmente, Kathryn teria pedido U$ 950 mil.

Leia também:  Briga entre Messi e Piqué escancara crise no vestiário do Barcelona

Cristiano Ronaldo se defende da acusação de 2009, mas não é a primeira vez que enfrenta algo assim. Em outubro de 2005, o então atacante do Manchester United, chegou a ser levado à delegacia para responder também sobre uma acusação de abuso numa suíte de luxo do Hotel Sanderson, em Londres. Por falta de provas, o jogador foi liberado e sempre negou as acusações.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.