Tamanho do texto

A entidade brasileira pede esclarecimentos sobre o uso do VAR no lance da expulsão do zagueiro Dedé após se chocar com o goleiro Andrada

Após trombada com o goleiro Andrada, Dedé foi expulso injustamente
Reprodução / Clarín
Após trombada com o goleiro Andrada, Dedé foi expulso injustamente

A expulsão do zagueiro Dedé, do Cruzeiro , ontem contra o Boca Juniors causou reação na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que enviou uma carta direcionada ao presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, protestando sobre o polêmico lance.

Publicada no site oficial da entidade, a carta da CBF solicita ‘providências diante dos prejuízos sofridos pelo Cruzeiro e pelo atleta, além de esclarecimentos sobre o uso do VAR no lance’.

O vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, se posicionou após o jogo e foi duro em suas palavras levantando a possibilidade de “roubo” no lance.

“O Cruzeiro não pode ser punido duas vezes: com o erro do jogo e o Dedé fora do próximo jogo. Se não for roubo, eles vão liberar o Dedé pra jogar. Se for, talvez o árbitro ameace abrir o bico e eles não vão liberar”, disse o dirigente.

Assim que acabou a partida, o Santos que também foi prejudicado pela Conmebol no ‘ Caso Sanchez’ prestou solidariedade ao clube mineiro. O presidente do Palmeiras (que enfrenta o Colo-Colo na noite desta quinta-feira), Maurício Galiotte, disse que os clubes brasileiros precisam se unir.


Veja abaixo a carta da CBF na íntegra.

A partida disputada entre Cruzeiro Esporte Clube e o Club Atlético Boca Juniors em 19/9/2018, pelas quartas de final da Copa Libertadores da América, infelizmente foi marcada por um grave erro de arbitragem. O atleta Dedé foi expulso injustamente pelo árbitro paraguaio Eber Aquino, após um choque involuntário com o atleta Esteban Andrada.

Como agravante, a injusta expulsão aconteceu após consulta ao Sistema de Assistência Arbitral por Vídeo (VAR), o que ocorreu de forma irregular e fora do protocolo de utilização da referida tecnologia.

A CBF registra seu inconformismo com a decisão da arbitragem e solicita que a Conmebol, valendo-se de suas instâncias funcionais, tome todas as providências cabíveis no sentido de fazer justiça em relação ao dano causado ao Cruzeiro Esporte Clube e ao atleta. Sugere ainda que uma investigação seja aberta pela Conmebol para completa apuração do ocorrido em relação à indevida intervenção do VAR neste episódio, dando transparência à decisão do árbitro no momento do lance.

A CBF faz isso não apenas no cumprimento do dever de apoiar sua agremiação filiada, mas no interesse de proteger a credibilidade do Sistema de Assistência Arbitral por Vídeo. O VAR é uma ferramenta fundamental para a melhoria do nosso futebol, mas para isso precisa da confiança das entidades, atletas, agremiações e torcedores. Isso só acontecerá se erros como o ocorrido na partida de ontem forem prontamente reconhecidos e corrigidos.

Leia também: No Colo-Colo, Barrios diz que carinho por Palmeiras fica de lado na Liberta

A CBF reconhece os grandes progressos de sua gestão à frente da Conmebol, notoriamente em relação a modernidade e transparência administrativa. Por isso, está confiante que serão adotadas as necessárias providências em relação aos fatos em questão.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.