Tamanho do texto

Eric Frosio escreveu o livro “Neymar, o príncipe do Brasil”, onde fala sobre os bastidores da vida do craque do PSG e suas relações pessoais

O jornal Marca publicou uma entrevista com o jornalista Eric Frosio, escritor do livro “ Neymar, o príncipe do Brasil ”. O autor conta a trajetória do craque brasileiro até chegar ao PSG e a relação do jogador com o clube francês atravez de outras pessoas próximas ao camisa 10 da seleção brasileira.

Leia também: Thiago Motta aconselha Neymar a ficar no PSG: 'Qual seria o desafio no Real?'

Neymar no PSG
Divulgação
Neymar no PSG

Na publicação, Eric revela que Neymar tem uma grande problema de comportamento, devido a sua falta de maturidade. Além disso, disse que o pai do jogador por ser uma pedra no caminho do filho, já que ele mudou muito nos últimos anos e que se perdeu por culpa do dinheiro, do sucesso e das mulheres.

O livro conta a história do camisa 10 através de pessoas relacionadas a ele, com quem ele compartilhou sua vida desde criança. O prefácio é escrito por Thiago Silva, e a publicação conta com relatos de amigos de sua infância, parentes, treinadores e companheiros de equipe da categoria de base, do Barcelona e do PSG.

Leia também: Brasil terá Neymar em amistoso, mas pode ficar sem Fagner e Douglas Costa

Segundo o autor do livro, Neymar pode ter a imagem pessoa egocêntrica , mas que não é assim no seu dia a dia: "Está passando uma imagem de menino metido, individualista, egoísta. E os que o conhecem falam exatamente o contrário. Dizem que é generoso, alegre, simples".

“Por seu comportamento, sua falta de maturidade. Já era assim com 19 ou 20 anos no Santos, mas era mais jovem, estava crescendo e aqui as pessoas gostavam dessas atitudes. Agora é maior, considerado o terceiro melhor jogador do mundo, tem um poder financeiro e uma imagem incríveis... Tem mais seguidores que muitos países do mundo tem de habitantes. Deveria comportar-se de uma forma mais discreta. Mbappé, que tem 19 anos, parece mais maduro”, explicou.

Frosio também comentou que o comportameto do jogador na seleção brasileira e no Barcelona era diferente do que no clube frances. "O PSG deixou o Neymar fazer o que quisesse. Eles deram as chaves da equipe e o jogador se deixou iludir. Chegou a ser o número um, mas Cavani já está no time há muitos anos e é querido pelo elenco. Ele era outro Neymar no Barcelona e na seleção. Com o Tite ele é diferente. Ele se preocupa com o grupo e não apenas pela atenção", analisou.

Leia também: Cristiano Ronaldo entra nos planos do PSG após indicar sua saída do Real Madrid

O autor também falou sobre o comportamento de Neymar Pai e como ele mudou com a fama e o rápido enriquecimento. “Todas as pessoas que eu conheci e que vivenciaram essa transformação de estilo de vida, me disseram que ele mudou muito e que se perdeu por culpa do dinheiro, do sucesso e das mulheres. Isso pode ser um problema para a trajetória do filho”, disse.

    Leia tudo sobre: Futebol