Tamanho do texto

Em duelo que contou com lance bizarro do atacante colombiano e opôs dois estilos diferentes, equipes não conseguiram movimentar o placar no Allianz

Mesmo sem as equipes titulares, jogo foi bastante movimentado
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Mesmo sem as equipes titulares, jogo foi bastante movimentado

Não foi o clássico que as torcidas de Palmeiras e Santos esperavam, mas o duelo deste sábado, válido pela 8ª rodada do Campeonato Paulista , acabou sendo bastante movimentado, mesmo que o placar tenha permanecido zerado.

Os torcedores que estiveram no Allianz Parque puderam acompanhar uma partida que colocou frente a frente dois estilos bastante distintos. De um lado, o poderoso ataque do Santos de Jorge Sampaoli, que já havia marcado 16 gols na competição, contra a defesa que ninguém passa do Palmeiras de Luiz Felipe Scolari, que sofrera apenas 2 gols até então.

O resultado acabou sendo o mais justo e confirmando as expectativas de uma partida igual e disputada. Com o ponto conquistado, as duas equipes mantiveram a liderança de seus grupos e o bom momento no torneio: o Palmeiras agora soma 15 pontos no Grupo B, enquanto o Peixe foi aos 19 no Grupo A.

O jogo

Duelo no Allianz opôs a melhor defesa contra o melhor ataque do Paulista
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Duelo no Allianz opôs a melhor defesa contra o melhor ataque do Paulista

Jogando com equipes alternativas, Palmeiras e Santos entraram em campo sem força máxima. Tanto Felipão quando Sampaoli preferiram poupar alguns atletas e rodaram o elenco para o clássico. Mesmo assim, o jogo foi quente, com boas oportunidades para os dois lados.

Mais ligado, o Verdão começou em cima do rival, levando algum perigo ao gol do goleiro Éverson. Porém, o Peixe foi comandando as ações aos poucos, fazendo valer a posse de bola e trocando muitos passes. Mesmo assim, a equipes alvinegra não conseguia furar a defesa rival.

Ao Palmeiras , restava apostar nos contra-ataques e nas ligações diretas para pegar o time do Santos desprevenido. E foi exatamente em um lançamento que o momento mais bizarro da partida aconteceu: após receber boa bola na lateral, Victor Luis cruzou rasteiro para Borja que, já sem goleiro e completamente livre, conseguiu se enrolar e errar a finalização.

Leia também: 2019 é o ano do futebol brasileiro?

No segundo tempo, o cenário continuou o mesmo: o Santos mantinha a posse da bola, comandava o jogo e só cedia chances escassas ao Palmeiras . Em uma das estocadas, o Peixe pediu pênalti após achute de Jean Lucas bater na mão do zagueiro Gustavo Gomes. Porém, o árbitro Flávio Rodrigues de Souza nada marcou.

Leia também: CBF vai bancar o VAR no Brasileirão e anuncia a volta da Supercopa do Brasil

A resposta do Palmeiras veio dos pés, ou melhor, da cabeça de Dudu. Após rápido contra-ataque, o camisa 7 alviverde obrigou o goleiro Éverson a praticar um verdadeiro milagre ao defender uma cabeçada à queima-roupa, garantindo assim a igualdade no placar.

Próximos jogos

Após o empate no clássico, Palmeiras e Santos terão semanas distintas. Enquanto o Verdão começa a pensar no Ituano, último rival pelo Paulista antes da estreia na Copa Libertadores, o Peixe tem duelo decisivo contra o River Plate-URU já na terça-feira. A partida vale vaga na próxima fase da Copa Sul-Americana. Na ida, os comandados de Jorge Sampaoli ficaram no 0 a 0 com os uruguaios e precisam apenas de uma vitória simples para avançar.