maradona
Divulgação/Fifa
Maradona morreu aos 60 após parada cardiorrespiratória

A morte de Diego Maradona , nesta quarta-feira, chocou o mundo, e principalmente os argentinos, que o tinham como ídolo máximo. Os principais jornais do país dedicaram artigos para homenagear o craque.

"Se foi Diego, e com ele se levou o futebol. Porque nada será igual. Nunca mais", escreveu o diário esportivo "Olé".

O "Clarín", maior jornal do país e um dos primeiros a noticiar a morte do craque, dedicou sensível texto a Maradona .

"E um dia ocorreu. Um dia o inevitável aconteceu. Uma pancada emocional e nacional. Um golpe que retumba em tudo. Um impacto mundial. Uma notícia que marca uma dobra na história. A frase que várias vezes se escreveu mas havia sido evitada pelo destino agora é parte da triste realidade: morreu Diego Armando Maradona".

O "La Nacion" ressaltou a idolatria dos argentinos pelo ex-camisa 10: "o culto a uma personalidade é uma religião em queda na pós-modernidade. Maradona é uma dessas exceções, objeto de fervor e paixão de conotações místicas".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários