Após muita pressão nos jogadores e diretores do Corinthians , com direito a  cenas fortes no aeroporto e protestos em frente ao Centro de Treinamento , a Gaviões da Fiel , principal torcida organizada do alvinegro, prometeu apoio total para ajudar a tirar o time da incômoda situação ocupada atualmente na tabela.

Em nota oficial, a liderança aponta que decidiu "as ações da torcida diante do atual desempenho do Corinthians". "Após longo debate e análise das opções levantadas, ficou definido que o momento agora é de apoio. Antes de mais nada, reforçamos que as cobranças já foram devidamente feitas e os jogadores já sabem o que precisam fazer em campo", apontou.

O apoio será mostrado já neste domingo, quando os torcedores estarão novamente no CT, agora incentivando o elenco antes da partida diante do Flamengo, marcada às 16 horas, na Arena Neo Química. Ônibus sairão da sede da torcida, no Bom Retiro, às 12 horas. O apoio em frente ao CT terá início às 12h30.

E esse não será o único jogo que a torcida pretende realizar a ação. De acordo com o comunicado, a presença da Fiel será feita "sempre antes das partidas com o intuito de apoiar e incentivar o time".

"Convidamos também todos aqueles que quiserem se juntar a nós para motivar o elenco. Entendemos que um dos motivos da má fase do Corinthians é a ausência dos torcedores nas arquibancadas, que antes enchiam o estádio e empurravam durante os 90 minutos. Afinal, já estamos desde o dia 26 de fevereiro, no empate contra o Santo André, sem frequentar os jogos", lembrou a torcida.

A torcida ainda lembrou a triste situação em que alguns jogadores ainda não conseguiram conhecer a força da torcida, por conta da pandemia do novo coronavírus.

"Alguns jogadores mais novos na equipe, ainda não tiveram a oportunidade de jogar com público na Arena. Assim, queremos que estes conheçam um pouco do nosso amor de perto. Mesmo aqueles que já tiveram a experiência, gostaríamos de relembrar o valor que o Corinthians possui para nós", escreveu a Gaviões.

Por fim, a torcida deixou claro que, mesmo com o apoio, espera "um retorno em campo". "Caso seja preciso, voltaremos a cobrar. Mas, por agora, a nossa postura será de apoio total", concluiu.

    Veja Também

      Mostrar mais