O goleiro Bruno, que acertou seu retorno ao futebol e jogará no Acre, não terá a companhia do atacante Jobson, ex-jogador do Botafogo, que também estava negociando com o Rio Branco .

Em entrevista ao site ac24horas, o presidente do Estrelão, como é chamado o time, revelou o fim das negociações pelo alto salário que o jogador recebe no União Cacoalense, de Rondônia.

“Eu queria contratá-lo. Tenho uma amizade com o presidente da Cacoalense e o Jobson tem contrato lá até 2021. Mas isso foi só uma conversa, ninguém acertou nada”, explicou Valdemar Neto à reportagem. Segundo ele, Jobson viria por empréstimo.

De acordo com o presidente, houve somente uma sondagem. “Fizemos uma conversa de previsão de como seria, mas nada de concreto. A gente conversou com o Jobson, tivemos uma conversa com ele e o presidente, mas só uma sondagem. Jobson ganha muito bem lá e está fora das condições financeiras do clube. Foi por isso que nós desistimos”, aponta.

Assim como Bruno, Jobson também tem problemas com a Justiça e chegou a ser preso em 2016, pela Polícia Civil, suspeito de estuprar quatro adolescentes na cidade Conceição do Araguaia, localizada no Pará.

A prisão aconteceu em sua própria chácara, na cidade de Couto Magalhães, no Tocantins. Uma das vítimas, uma menina de 13 anos, denunciou que teve fotografias suas em situações pornográficas vazadas e que o jogador teria dado bebida alcoólica e entorpecentes para ela e outras três meninas para, em seguida, abusá-las sexualmente.

    Veja Também

      Mostrar mais