Tamanho do texto

Em entrevista concedida à RPC, Lucas Mineiro, testemunha chave do caso Daniel, diz que viu o momento em que o assassino confesso agride o jogador

Jogador Daniel foi assassinado em 27 de outubro de 2018 arrow-options
Reprodução
Jogador Daniel foi assassinado em 27 de outubro de 2018

Em entrevista concedida à emissora RPC, Lucas Stumpf afirmou que viu o assassino confesso do jogador Daniel, Edison Brittes, enforcando o atleta em cima da cama, enquanto a esposa de Edison, Cristiana Brittes, gritava por socorro.

Stumpf , mais conhecido como Lucas Mineiro , participou do aniversário de Allana Brittes, filha de Edison , em uma boate, na noite do crime. Assim como Daniel , Mineiro foi até a casa da família Brittes, local em que as comemorações pelo aniversário de Allana seguiram.

Leia mais: Caso Daniel: STJ marca data para julgar habeas corpus de Allana Brittes

Mineiro relatou: "No momento em que eu olhei pela janela, eu vi o Daniel na cama sendo enforcado. Eu vi o Edison o enforcando em cima da cama, batendo em cima da cama. Daniel estava de cueca e camiseta".

Considerado a principal testemunha do caso Daniel, Lucas revela: "Ela (Cristiana Brittes) tentava pedir ajuda. Ela não tinha como reagir naquele momento e não ia conseguir fazer nada, creio eu. Ela pedia socorro e eu não sei dizer se o socorro dela era por algo que aconteceu com ela, mas, no meu entendimento, era que o pedido de socorro era pro Daniel", disse.

Leia mais: Allana Brittes mandou mensagens para testemunhas para combinar versão do crime

"No momento em que eles estavam agredindo o Daniel, eu cheguei e falei: para, para. Ele (Edison Brittes) olhou pra mim e disse: ‘Sai fora. Se não vier me ajudar, sai fora se não você é o próximo’”, disse Lucas Mineiro.

Segundo as investigações do caso Daniel , Edison Brittes espancou o jogador e depois o levou até São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. No local, o atleta foi assassinado.