Tamanho do texto

O encontro aconteceu em um shopping de São José dos Pinhais, dois dias após o corpo do jogador Daniel ser encontrado

Allana Brittes e Cris Brittes arrow-options
Reprodução
Cris Brittes e Allana Brittes

A jovem Allana Brittes, filha de Edison Brittes, assassino confesso do jogador Daniel, mandou mensagens no dia seguinte ao crime para marcar um encontro com as pessoas que estavam em sua festa.

Leia também: Caso Daniel: Busca de Cris Brittes por casas de swing muda rumo da investigação

A RPC, canal de televisão paranaense, teve acesso ao celular de Lucas Mineiro, amigo de Allana Brittes . Nas mensagens, a garota insiste por um encontro com ele e outras testemunhas do caso Daniel no dia seguinte ao crime.

"Os Purkote vão sair junto com você? Que horas você volta mais ou menos, você acha? Ou que horas, tipo, que dá um ar pra gente? Que é só pra gente conversar rapidinho", disse no Allana em uma das mensagens por áudio.

As mensagens foram trocadas na noite de 27 de outubro, dia em que o jogador Daniel foi encontrado pela manhã.

O encontro das testemunhas com Edison Brittes, marcado por Allana, aconteceu apenas  no dia 29 de outubro, em um shopping da cidade de São José dos Pinhais. Câmera de segurança flagraram a conversa.

Família Brittes combina versão da morte de Daniel com testemunhas arrow-options
Reprodução
Família Brittes combina versão da morte de Daniel com testemunhas


Quem são os acusados

Além da  família Brittes  (Edison, Cristiana e Allana), outras quatro pessoas são acusadas do crime.

O empresário Edison Brittes já confessou ter matado Daniel no mês de outubro do ano passado, alegando que jogador tentou estuprar Cristiana Brittes, sua esposa, em casa. Por outro lado, a Polícia Civil e o MP-PR (Ministério Público do Paraná) entendem que não houve tentativa de estupro.

Leia também: "Espero que você morra"! Cris Brittes buscava divórcio com Edison antes do crime

De todos os acusados, apenas Evellyn Perusso responde em liberdade. Os outros seguem detidos.

Veja quem são os réus:

Edison Brittes arrow-options
Reprodução/RPC
Caso Daniel: Edison Brittes, assassino confesso do jogador Daniel Corrêa

Edison Brittes Júnior : acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor e coação no curso do processo;
Cristiana Brittes : acusado de homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor;
Allana Brittes : acusada de coação no processo, fraude processual e corrupção de adolescente;
Ygor King : acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
Eduardo da Silva : acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
David Willian da Silva : acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa;
Evellyn Brisola Perusso : acusada de denunciação caluniosa, fraude processual, corrupção de menor e falso testemunho.

Leia também: Novo capítulo do caso Daniel: definida data do interrogatório da família Brittes

A juíza do  caso Daniel  já ouviu testemunhas de acusação e defesa em outras duas fases de audiência, em fevereiro e em abril deste ano de 2019. Prestaram depoimento pessoas que estavam na festa de aniversário de Allana Brittes, na véspera do crime, e familiares do jogador e dos acusados. 

    Leia tudo sobre: Futebol