Tamanho do texto

Cláusula no contrato com o Esporte Interativo prevê o pagamento de R$ 34,5 milhões ao clube caso não haja um acerto com a emissora carioca

Dudu e Bruno Henrique
Giazi Cavalcante/Código19/Agência O Globo
Jogadores do Palmeiras comemoram gol na partida contra o Galo, que não teve transmissão nenhuma na TV

O Palmeiras ainda não fechou contrato com a Globo pela transmissão de seus jogos na TV aberta, e caso a negociação continue sem acerto, o clube receberá R$ 34,5 milhões do Esporte Interativo, emissora que tem os direitos para transmitir os jogos do alviverde na TV fechada.

Leia também: Equipe do Esporte Interativo vibra enquanto torcida do Palmeiras xinga a Globo

De acordo com apuração do jornalista Gian Oddi, da ESPN, o contrato do Palmeiras com a Turner , dona do Esporte Interativo , prevê o pagamento deste valor em 9 parcelas de R$ 3,83 milhões, entre abril e dezembro deste ano, caso o clube realmente não feche com a Globo para a TV aberta.

A cláusula, que funcionaria como uma espécie de compensação ao Verdão, não se aplicaria apenas em 2019, mas sim para os seis anos de acordo do clube com a Turner.

Já com relação aos direitos do pay-per-view , o contrato do Palmeiras com a emissora não prevê uma compensação caso não exista acordo com a Rede Globo, detentora do canal Premiere.

Leia também: Globo ou Esporte Interativo? Saiba onde assistir o clássico Palmeiras x Santos

De acordo com informações apuradas pelo iG Esporte, O Palmeiras e a Rede Globo tiveram uma nova reunião para tentar um acerto no início do mês, porém mais uma vez o encontro acabou sem solução devido a dois impasses: a multa imposta pela emissora carioca e o tempo de contrato desejado pelas partes.

Assim como fez com Santos, Internacional, e outros clubes que acertaram com a Turner , a Globo quer impor uma multa contratual de 20% ao Verdão, que considera absurdo e não deve abrir mão do valor cheio pelos direitos de transmissão , que já foram acertados.

Leia também: Luis Roberto comete gafe e anuncia jogo do Palmeiras que passará no canal TNT

Outro impasse na negociação é o tempo de contrato, o Palmeiras  deseja uma duração de dois anos, enquanto a emissora quer que o acordo seja válido por quatro anos.

    Leia tudo sobre: Futebol