Tamanho do texto

"Jogamos muito abaixo, a gente sabia que seria difícil jogar aqui, por causa do calor. Mas não é desculpa, a gente sabe que tem a melhorar", lamenta Ralf

IstoÉ

corinthians
Walmir Cirne/Coofiav
Corinthians jogou contra o Bahia e perdeu; jogadores comentam jogo após derrota na Arena Fonte Nova, em Salvador

Os jogadores do Corinthians reconheceram que a semana com decisões pelo Campeonato Paulista e pela Copa do Brasil contribuíram para o alto número de erros e a queda de rendimento do time no segundo tempo da derrota para o Bahia por 3 a 2, neste domingo (28), na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela estreia no Campeonato Brasileiro .

Leia também: Corinthians leva virada do Bahia na estreia, e Athletico-PR atropela o Vasco

"Jogamos muito abaixo, a gente sabia que seria difícil jogar aqui, por causa do calor. Mas não é desculpa, a gente sabe que tem a melhorar. Tivemos dois jogos desgastantes, o São Paulo e a Chapecoense. Tínhamos que virar a chave”, lamentou Ralf, que falhou no lance que deu origem ao terceiro gol do Bahia.

Na visão de Fábio Carille, o excessivo número de passes errados dificultou a dinâmica do jogo corintiano. Para o treinador, o equilíbrio entre as equipes no Brasileirão não permite que falhas individuais ou coletivas persistam em outras partidas do Corinthians . “O campeonato vai ser difícil. Os jogos vão ser muito iguais, táticos. E erros individuais e qualidades individuais serão decisivos”, disse.

Leia também: Rodrigo Caio deixa hospital após susto, mas não joga quarta: "Lembrei de tudo"

Autor do primeiro gol do Corinthians, Pedrinho endossou o discurso de Fábio Carille e afirmou que o Corinthians errou muitos passes. “Erramos passes simples. Após o jogo o Carille nos cobrou por isso. Acabou dificultando nosso jogo”.

Leia também: Com direito a tiros dos bandidos, Arboleda é assaltado no litoral paulista

Sobre o gol , o atacante comemorou o chute da entrada da área, mas comentou que o fato de jogar mais distante da área dificultam as finalizações ao gol. “Quando a gente joga de ponta não tem tanta oportunidade de finalizar. Durante o jogo, o Carille fez uma mudança (tática), pude receber a bola e finalizar, ponto forte que tenho”, completou.

    Leia tudo sobre: futebol