Tamanho do texto

Daniel foi encontrado morto no dia 30 de outubro de 2018 em um matagal na cidade de São José dos Pinhais. Audiência começam nesta segunda-feira (01)

Edison Brittes e Cristina Brittes  / Daniel e Cristina Brittes
Reprodução
Caso Daniel: atleta tirou foto com Cris Brittes e mandou para amigo

As audiências do processo que investiga o "Caso Daniel" começaram nesta segunda-feira (01) no Fórum de São José dos Pinhais, no Paraná. Cerca de 60 pessoas foram arroladas e devem ser ouvidas até o fim da semana.

O advogado da família do jogador, Nilton Ribeiro, acredita que o julgamento do " Caso Daniel " pode acontecer ainda em 2019 caso tudo corra dentro da normalidade nas audiências do processo.

Leia também: Assassino confesso de Daniel recebeu oferta de R$ 70 mil para fugir da prisão

“Encerrada essa fase da instrução processual começa o prazo para acusação e defesa apresentarem as alegações finais. Normalmente são cinco dias para cada parte, mas acredito que a juíza deve aumentar esse prazo para 10 dias, devido à complexidade do caso. Em seguida vem a sentença de pronuncia e logo após é marcado o júri”, projetou em entrevista ao "Massa News".

O advogado comentou também que os reús mudaram sua postura neste primeiro dia: "Por terem demonstrado uma certa alegria na primeira fase das audiências. Acredito que devem ter sido orientados ou viram como a imprensa relatou o comportamento frio deles”, disse Ribeiro.

Leia também: Caso Daniel: amigo do jogador morto diz que recebeu "selinho" de Cris Brittes

Edison Brittes Junior foi o primeiro ao chegar ao fórum, por volta das 9h, sem algemas e cobrindo o rosto para ser filmado. Às 10h, uma van do Sistema Penitenciário levou os outros seis reús do " Caso Daniel ", todos algemados e com uniforme da prisão.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.