Tamanho do texto

Evelin, moça que ficou com o jogador Daniel em uma boate de Curitiba na noite anterior ao crime, tentou ajudá-lo, mas o assassino não deixou

Daniel mandou fotos ao lado de Crtistiana Brittes logo após gravar um áudio para amigo
Reprodução
Daniel mandou fotos ao lado de Crtistiana Brittes logo após gravar um áudio para amigo

A jovem Evelin, de 19 anos de idade e que teve um affair com Daniel na noite anterior à morte do jogador, numa boate de Curitiba, bem que tentou ajudá-lo, mas foi proibida por Edison Brittes , o assassino confesso.

Leia também: Edison, assassino de Daniel, fingiu ser o "policial Steve" para fazer extorsão

O advogado Luis Roberto Zagonel, que representa a moça neste caso, contou que ela tentou chamar uma ambulância para Daniel , que estava sendo espancado dentro da casa da família Brittes.

"Ela falou para chamarem o Siate (Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Paraná), mas foi abruptamente repelida por Edison. Ele não deixou ninguém chamar a ambulância e ordenou que todos ficassem na casa", disse o magistrado.

Leia também: Irmã de Cristiana diz que Edison Brittes é "desequilibrado"

"Quando saiu com Daniel dentro do porta-malas, ordenou que limpassem o sangue que havia ficado na residência. Ela ficou e obedeceu, por medo do que poderia acontecer", acrescentou Zagonel.

Evelin, de 19 anos, ficou com o jogador Daniel na noite anterior à sua morte
Reprodução/Átila Alberti/Tribuna do Paraná
Evelin, de 19 anos, ficou com o jogador Daniel na noite anterior à sua morte

Segundo o advogado, sua cliente está extremamente abalada, assustada e com medo da própria sombra. No entanto, diferente do que foi divulgado por alguns veículos de comunicação, a jovem não foi ameaçada após as prisões.

Além de ser testemunha de um crime chocante na cidade de São José dos Pinhais, Evelin vem sendo ofendida nas redes sociais.

"Ela está pagando por um crime que não cometeu. Estava na hora errada, no lugar errado. Mesmo assim, está à disposição da justiça e sempre que chamada atendeu de pronto. O seu testemunho, inclusive, converge com outros que já foram dados", completou Zagonel.

Leia também: Entre sorrisos, família Brittes combina versão da morte de Daniel em shopping

Ainda de acordo com o advogado, a jovem que ficou com Daniel na noite anterior ao crime, chegou a receber um telefonema de Edison para que fosse até o shopping combinar a versão que seria contada para a polícia, mas ela se recusou a participar da farsa. 

Edison Brittes está preso por ter confessado a morte de  Daniel . A mulher Cristiana e a filha Allana também estão detidas por terem participado do crime, assim como outros quatro suspeitos. Todos os sete responderão pelo assassinato ocorrido na manhã do último dia 27 de outubro, em São José dos Pinhais. 

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.