Tamanho do texto

Com time misto, Raposa vence e afunda ainda mais o Timão, que pode entrar na zona de rebaixamento na próxima rodada; Jair Ventura balança no cargo

Com o pior aproveitamento de um treinador no Corinthians desde Geninho, em 2006, Jair Ventura balança no cargo
Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians
Com o pior aproveitamento de um treinador no Corinthians desde Geninho, em 2006, Jair Ventura balança no cargo

A situação do Corinthians no Campeonato Brasileiro de 2018 é cada vez mais dramática. Na noite desta quarta-feira (14), o Timão não resistiu ao time misto do Cruzeiro e acabou derrotado por 1x0 em jogo disputado no Mineirão. David marcou o único gol da partida.

Leia também: Corinthians promoverá campanha do Novembro Azul em jogo contra o Vasco

Nervoso, o time do Corinthians foi dominado durante a partida e dependeu de boas defesas do goleiro Cássio para não ser goleado. O volante Douglas foi expulso de maneira infantil ainda na primeira etapa, repetindo o feito de Angelo Araos na rodada passada.

Com o resultado, o Timão fica com 40 pontos, apenas três na frente da Chapecoense, primeiro time na zona de rebaixamento. O time catarinense ainda tem um jogo a menos, portanto, o alvinegro pode entrar no Z4 na próxima rodada. O Cruzeiro, por sua vez, vai aos 49 pontos e assume a sétima colocação no Brasileirão .

O novo revés faz o treinador Jair Ventura balançar ainda mais no cargo. Em 15 jogos à frente do Timão, o técnico obteve apenas três vitórias e chegou à sua sétima derrota, além de cinco empates. Com 31,1% de pontos conquistados, o treinador tem o pior aproveitamento de um técnico no Corinthians desde Geninho, que teve aproveitamento de 21,2% no ano de 2006. 

O aproveitamento de Jair Ventura é, inclusive, pior do que os de Paulo César Carpegiani (39%) e Nelsinho Baptista (33,3%) em suas passagens pelo clube do Parque São Jorge em 2007, quando o Timão acabou sendo rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Leia também: Kanté recusou receber em paraíso fiscal e pediu "salário normal" ao Chelsea

Com a vaga na Libertadores garantida após o título na Copa do Brasil em cima do próprio Corinthians e sem maiores pretensões no Campeonato Brasileiro, Mano Menezes optou por escalar um time praticamente inteiro reserva diante de um Corinthians que precisava de uma vitória para respirar na competição.

No entanto, o que se viu desde os primeiros minutos foi a equipe da casa dominando a partida. Em seis minutos, Cássio já havia aparecido bem em duas oportunidades. Primeiro, em chute de Robinho da entrada da área e depois em finalização de David, que entrou em velocidade na área após lançamento da defesa.

Aos 13, no entanto, o goleiro corintiano nada pode fazer quando Douglas errou feio no meio de campo e a bola sobrou limpa para Fred, que invadiu a área sozinho e tocou para David empurrar para as redes e abrir o placar para a Raposa.

Leia também: Torcida do Palmeiras está 10 das melhores do mundo em votação

Com a vantagem no placar, o Cruzeiro relaxou e o Corinthians, na base do desespero, tentava chegar ao gol de empate de todas as maneiras. O veterano Danilo era a principal arma do Timão, e assustou Fábio em cabeçada aos 21. Aos 42, o camisa 20 recebeu dentro da área e deu um lindo corte no primeiro marcador, mas acabou desarmado antes de finalizar.

No minuto final da primeira etapa, o volante Douglas deixou a vida do Timão ainda mais complicada após fazer duas faltas duras em sequência. Na primeira, ele recebeu o cartão amarelo e na segunda acabou sendo expulso de campo. Na rodada passada, Araos, que substituia Douglas, também acabou sendo ejetado de campo ainda no primeiro tempo.

Na volta do intervalo, Jair repetiu a alteração do clássico e colocou o jovem Thiaguinho no lugar de Danilo, perdendo assim sua principal arma ofensiva. O Timão, apesar de tecnicamente inferior, ainda era valente, e quase chegou ao empate logo no início da etapa final, mas Fábio fez excelente defesa após cabeçada de Danilo Avelar.

O goleiro da Raposa voltou a brilhar aos 17 ao espalmar chute forte de Thiaguinho da entrada da área. A bola ainda explodiu no travessão após o desvio do ídolo cruzeirense. No mesmo lance, o Cruzeiro saiu para o contra ataque e também assustou: Ezequiel recebeu livre na ponta direita e cruzou rasteira para a área. Léo Santos tocou nela, que ainda desviou em David antes de atravessar a pequena área corintiana.

Com um homem a menos e esgotado fisicamente, o Corinthians não conseguia manter o ritmo acelerado. Jair optou pelas entradas de Clayson na vaga de Pedrinho e de Mateus Vital no lugar de Jadson para dar mais velocidade ao time. As alterações, no entanto, não deram muito resultado, e o Timão seguia sem ameaçar o adversário.

Aos 41, o Corinthians finalmente voltou a assustar, mas novamente parou nas mãos de Fábio. Mateus Vital fez boa jogada individual pela direita, cortou para o meio e bateu forte, mas o goleiro cruzeirense novamente se agigantou e fez bela defesa. No último lance da partida, até o goleiro Cássio foi para dentro da área em cobrança de falta, mas a bola foi parar nas mãos de Fábio antes do apito final.

Mais ameaçado do que nunca pelo fantasma do rebaixamento, o Corinthians tem jogo importantíssimo no próximo sábado (17) em Itaquera. O Timão pega o Vasco, adversário direto na luta contra o Z4. Em clima de férias, o Cruzeiro também vai à capital paulista, onde enfrenta o São Paulo no domingo (18).

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.