undefined
Reproduçao TV Globo
Edison Brittes, assassino confesso do jogador Daniel. Ele já foi denunciado pela própria mãe

A cada dia que passa, novas e impressionantes informações vão surgindo sobre o empresário Edison Brittes , assassino confesso do jogador Daniel . O crime aconteceu no último dia 27 de outubro, em São José dos Pinhais, no Paraná. 

Leia também: Entre sorrisos, família Brittes combina versão da morte de Daniel em shopping

De acordo com documentos apresentados pela "Rede Massa", o assassino do atleta foi denunciado à polícia pela própria mãe depois de ser cobrado por uma dívida antiga.

Boletins de ocorrência registrados no começo deste ano mostram que a mãe de Edison Brittes emprestou R$ 165 mil ao filho em outubro de 2014, referente à venda de um imóvel. O dinheiro seria utilizado para que o rapaz pudesse investir em um negócio próprio.

Leia também: Assassino de Daniel, Edison teria convidado o atleta a fazer sexo com a mulher

Ainda segundo a reportagem, ambos combinaram que o valor seria pago em até um ano, mas a dívida nunca foi sanada. Quando a mãe de Edison cobrou, ele a ameaçou. O filho xingou a própria mãe com palavras de baixo calão e ainda disse que ela seria "folgada demais e que vive nas costas dos outros".

O caso ainda está em andamento na Justiça e uma audiência já está marcada para fevereiro do ano que vem.

undefined
Reprodução
Edison Brittes, assassino de Daniel, e a esposa Cris Brittes. Jogador tirou foto com ela na cama

Um tio de Edison ainda revelou  que este não é o primeiro atrito familiar que o empresário se envolve. O primeiro "roubo" cometido por Edison, segundo esse tio, foi cometido aos 17 anos de idade, quando ele levou R$ 30 da sua carteira. 

Além de tudo isso, Edison não tem um bom relacionamento com o pai há alguns anos.

Leia também: Edison usou celular de homem morto para dar pêsames à família de Daniel

Edison Brittes, assassino confesso do jogador Daniel, a mulher Cristiana e a filha Allana estão presos preventivamente. Ambas são suspeitas de presenciar o espancamento do jogador e não reagir, além de coagir testemunhas. Todos os envolvidos até agora serão acusados de homicídio qualificado (crime por motivo fútil).

    Leia tudo sobre: Futebol

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários