Tamanho do texto

"Ele disse que estava muito louco, que convidou Daniel para dormir com a mulher dele. Ele sabia, a mulher também, foi um acordo", disse testemunha

Edison Brittes confessou que matou o jogador Daniel
Reprodução
Edison Brittes confessou que matou o jogador Daniel

Uma informação bombástica foi revelada nesta quinta-feira por uma pessoa próxima à Edison Brittes , assassino confesso do jogador Daniel, que era do São Paulo e estava emprestado ao São Bento.

Leia também: Delegado do caso Daniel afirma que não houve tentativa de estupro

Segundo reportagem do site "Massa News", essa testemunha afirmou que Edison teria convidado Daniel  a ter relações sexuais com a sua esposa, Cristiana Brittes, naquela manhã. Essa situação teria ocorrido momentos antes de o atleta ser morto.

Leia também: "Não quero morrer, socorro", disse jogador Daniel antes de ser assassinado

"Ele disse que estava muito louco, que convidou Daniel para dormir com a mulher dele. Ele sabia, a mulher também, foi um acordo. E depois que ele viu que realmente os dois estavam juntos na cama ele se revoltou e resolveu matá-lo", comentou o rapaz que não quis se identificar.

Ainda segundo essa pessoa, Edison Brittes teria confessado a um amigo que usou drogas antes do crime, como cocaína e ecstasy. "A família tem direito de saber que Daniel não tentou estuprar ninguém, ele realmente é inocente na história", finalizou o entrevistado.

O jogador Daniel Corrêa foi assassinado no dia 27 de outubro
Erico Leonan/São Paulo FC
O jogador Daniel Corrêa foi assassinado no dia 27 de outubro

Em depoimento, Cristiana Brittes disse que acordou com o jogador deitado em cima dela, apenas de cueca e passando a mão em seu corpo. Assustada, ela revelou que começou a gritar pedindo socorro, mas nenhuma testemunha ouviu.

Leia também: Jogador Daniel aparece em vídeo de festa dos suspeitos antes do crime; assista

Já Allana Brittes contou à polícia que quando entrou no cômodo, viu o jogador de cueca e o pai o segurando pelo pescoço. Ela disse ainda que o pai dizia no momento que Daniel estava "na cama que ele dorme com a mulher, mãe das filhas dele", e que o atleta tentava falar, mas não conseguia. 

Depois de ser flagrado no quarto de Cristiana,  Daniel  foi espancado ainda na residência do casal e, depois, levado a um matagal onde acabou sendo morto. O corpo do atleta foi encontrado quase degolado e sem o pênis, no dia 27 de outubro. 

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.