Tamanho do texto

Conselheiro do Santos tinha entrado na Justiça para cancelar Assembleia deste sábado que votará o impedimento ou não de José Carlos Peres

Processo de impeachment do presidente do Santos foi aprovado nesta segunda-feira (10)
Reprodução / Santos
Processo de impeachment do presidente do Santos foi aprovado nesta segunda-feira (10)

A liminar obtida nesta segunda por um conselheiro do Santos , suspendendo a Assembleia Geral, foi revogada nesta terça-feira  pelo juiz da 4ª Vara Cível de Santos, Frederico Santos Messias. Desta forma, a Assembleia que decidirá pelo impeachment ou não do presidente José Carlos Peres está, neste momento, mantida para o próximo sábado.

Ao ser acionado por advogados que representam a Mesa do Conselho Deliberativo, Messias recebeu a informação de que há uma ação anterior em trâmite na 1ª Vara Cível de Santos , movida pelo presidente José Carlos Peres. Com a conexão entre as duas ações, o magistrado suspendeu a liminar para que o juiz da 1ª Vara faça a apreciação do tema. Como o juiz da 1ª Vara já negou pedido anterior de liminar, a Assembleia segue marcada.

A decisão anterior, segundo o advogado Jorge Leão Freire Dias, foi concedida em caráter de urgência como uma tutela antecipada pelo juiz da 4ª Vara Civel de Santos, Frederico Santos Messias. O advogado entrou com uma ação na Justiça em nome do conselheiro Fernando Turiane Fernandes.

Leia também:  Time de Keno e Rodriguinho no Egito perde investimento e venderá atletas

Apesar da liminar mantendo a Assembleia, quatro ações foram impetradas pelo presidente José Carlos Peres na segunda-feira (24), tentando a suspensão da assembleia geral. Em entrevista coletiva nesta terça, o dirigente evitou falar sobre a batalha nos tribunais e garantiu estar focado na votação de sábado.

“Estamos pensando no sábado. Vamos ter uma votação grande. Eu estou mantendo o foco de convencer o associado que esta é a mais importante assembleia que o clube teve até hoje”, disse.

O verdadeiro motivo da votação de sábado é deixado de lado no embate entre os dirigentes. Dois terços do Conselho Deliberativo do Santos aprovaram pareceres da Comissão de Inquérito e Sindicância que apurou infrações estatutárias cometidas pelo presidente José Carlos Peres.

Leia também:  Jair Ventura fala de 'equilíbrio emocional' para chegar a final da Copa do Brasil

Os sócios terão que acompanhar ou não o legislativo do clube e como isso leva a votação o clima político tomou conta do Santos .

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.