Tamanho do texto

Após passagens por Botafogo e Santos, o treinador assume o Corinthians na semana que antecede o clássico contra o Palmeiras pelo Brasileirão

Jair Ventura é apresentado no Corinthians
Reprodução / Corinthians
Jair Ventura é apresentado no Corinthians

Jair Ventura foi apresentado oficialmente como novo treinador do Corinthians nesta sexta-feira (07), no CT Joaquim Grava .

Leia também: Arena Corinthians é assaltada horas após o jogo contra o Atlético-MG

O primeiro desafio de Jair Ventura no clube será domingo (09) contra o Palmeiras no Allianz Parque, e o treinador falou sobre o clássico. 

“Jogo grande, onde o treinador acaba trabalhado emocionalmente muito pouco. Sabemos tudo que aconteceu recentemente com as duas equipes. Sabemos da responsabilidade, mas é a vida do treinador. Você já chega e tem um clássico com o um grande treinador, que eu admiro. Vamos lá e vamos fazer um grande jogo, como já fizemos esse ano. Sabemos da responsabilidade do clássico, seria muito fácil eu chegar e deixar a maré abaixar, mas não. Eu gosto dos desafios da minha carreira”. 

Questionado sobre o período desempregado, Jair disse que aproveitou para assistir muitos jogos, mas fez mistério sobre o que vai mudar em seu trabalho. 

“Um treinador desempregado assiste muitos jogos e eu tenho uma filha de um ano, e fiquei em casa e assisti diversos jogos, do Corinthians e de várias ligas. É difícil falar, está todo mundo me olhando e é difícil falar o que preciso melhorar porque pode ser o que o Felipão vai explorar”.

Leia também: Copa do Brasil: CBF rejeita pedido do Flamengo de adiar jogo contra Corinthians

Chamado por alguns torcedores e jornalistas de retranqueiro, o treinador disse se orgulhar do rótulo. 

“O treinador da seleção brasileira chegou fazendo um jogo defensivo, então isso não pode me incomodar. O Corinthians revelou diversos treinadores dessa maneira, então não é incomodo. Não é que eu fico incomodado, mas já joguei de diversas maneiras. Para mim é motivo de orgulho saber que eu arrumo bem uma defesa, que eu posso fazer um time competitivo, jogando sem a bola. A maior dificuldade do jogador é jogar sem a bola. É motivo de orgulho você extrair a entrega e que eles corram o máximo”.

O novo treinador falou também sobre a pressão de trabalhar no Corinthians.

Leia também: Presidente do Corinthians, Andrés Sanchez vira réu por crime tributário

“Ele não sabia, mas eu já sei. Lógico que é assim. A gente tem que se policiar o tempo inteiro, saber a responsabilidade de trabalhar em um grande clube. Não vai faltar competitividade, trabalho, entrega. O grupo, o que me deixa mais feliz, é que eles querem reverter essa situação, e os atletas são os grandes responsáveis. Encaro com naturalidade (a pressão) e estamos aqui sempre para fazer o bem”, finalizou Jair Ventura .

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.