Tamanho do texto

O presidente da Federação Paulista, Reinaldo Bastos, disse que negociação com empresa que prestou serviço na Copa do Mundo está bem encaminhada.

Árbitros em operação na Copa. VAR estará no Paulistão 2019
Divulgação
Árbitros em operação na Copa. VAR estará no Paulistão 2019

Durante Assembleia Geral Ordinária realizada nesta quinta-feira (30), o presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, afirmou que no Paulistão do ano que vem será implementado o recurso de vídeo para os árbitros. A ideia é ter o VAR nas quartas-de-final, semifinal e final.

Leia também: Corinthians conta 180 cadeiras quebradas depois de jogo contra Colo-Colo

Segundo o dirigente, o custo será bancado pela federação e já foi incluso no orçamento do próximo ano “Está bem encaminhado com a empresa [Hawk-Eye Innovations] que fez o VAR na Copa do Mundo. Já solicitamos à CBF que encaminhe nossas pretensões à Fifa. Estamos dispostos a fazer e a bancar” afirmou o organizador do Paulistão .

Em reunião no começo do ano, os clubes vetaram a utilização do recurso durante o Campeonato Brasileiro. Na ocasião, a CBF propôs que os próprios times arcassem com o valor da implementação da tecnologia. Utilizado para auxiliar nas dúvidas da arbitragem em lances de gol, pênalti, aplicação de cartão vermelho e identificação de atletas o custo era de R$ 1 milhão para cada equipe.

Leia também: Flamengo pede adiamento do jogo da ida da Copa do Brasil, contra Corinthians

Hoje, o VAR é usado na Copa do Brasil e está sendo custeado pela Confederação Brasileira de Futebol. No Rio de Janeiro, a Federação de Futebol do Rio (FERJ) também se comprometeu em implementar o árbitro de vídeo, porém em outro formato: semifinais e finais de turno e os quatro jogos da decisão estadual.

Bastos é reeleito e organizará o Paulistão até 2022

Reinaldo Bastos foi reeleito em Assembleia e organizará o Paulistão até 2022
Gazeta Press
Reinaldo Bastos foi reeleito em Assembleia e organizará o Paulistão até 2022

O presidente Reinaldo Bastos foi reeleito durante a Assembleia Geral Ordinária para mais um triênio a frente da entidade. O mandado começa em 2019 e vai até 2022. Ele preside a FPF desde abril de 2015. De acordo com nota do site oficial da FPF, desde que assumiu a presidência Bastos aumentou de R$ 103 milhões para R$ 145 milhões as cotas e patrocínios para os clubes.

Mas nesse tempo também causou desconforto com alguns dirigentes. Na reunião dessa quinta-feira, representantes do Palmeiras não compareceram. Isso porque o time alviverde tenta desde o começo do ano impugnar a final do Paulistão de 2018 , quando perdeu para o rival Corinthians após polêmica com a arbitragem. A decisão do clube criou uma racha entre a FPF e o Palmeiras.