Tamanho do texto

Nem tudo que a gente aprende fica registrado para o resto da vida. A crônica de hoje relaciona falta de memória, física, matemática, química e futebol

Eu devo ter algum problema sério de memória. Hoje, na reunião de família, meu tio Jesus e meu primo Davi levantaram a bola: você sabe o que é equação de segundo grau? E devo admitir, com a vergonha dos nudes e das gafes, dos constrangimentos e das dores de barriga fora de casa, um sentimento semelhante aos aqui citados: eu esqueci. Sou um medíocre.

Leia também: Veja como foi Ceará x São Paulo e os outros jogos da rodada do Campeonato Brasileiro

Ceará x São Paulo
Rubens Chiri / saopaulofc.net
Ceará x São Paulo

Fato é que já não uso 90 por cento das coisas que aprendi. Ou, no caso, achei inocentemente que aprendi. Física, química e matemática - a maior das bruxas vilãs - foram trocadas por palavras na cabeça desse jovem cronista. Vendo Ceará e São Paulo, hoje, me flagrei olhando a grande área. A grande área é um retângulo perfeito. Já repararou? São dois, na verdade. Com um meio círculo que não serve pra nada, na frente da maior delas. E um ponto formando a marca do pênalti.

A bola é naturalmente uma esfera, você sabe. Mas uma esfera cheia de pentágonos de capotão. Rolando em conflito com o campo do Castelão, na grama perfeita. Diante disso, fui comprar pão e lembrei de outro personagem perdido na minha memória adolescente: Pitágoras. Como pude esquecer? Pitágoras, perdido em alguma gaveta da minha careca, voltou e me salvou no cruzamento das ruas. Nossa, isso é um triângulo isósceles! Reparei. Meu Deus! Porque a soma dos catetos ao quadrado resultam em alguma hipotenusa, obviamente.

Nessa paranoia, fui tomar água. E fiquei com remorso de chamar água de água. É H2O, segundo os químicos. E eu não sou tão íntimo dela. Prefiro cerveja e refrigerante. Lembrei, depois, de Bhaskara. Imagina, nunca soube que Bhaskara tinha "h" e "k". Até o nome é difícil. E, com todo respeito, não sei por qual razão, circunstancia ou objetivo isso tudo veio a ser tema dessa crônica. Na verdade é pra perguntar o que isso me acrescenta, hoje. No máximo faço conta de um mais um, humildemente, com risco sério de errar mais do que Leco na presidência do São Paulo. Mas vamos vivendo sem raiz quadrada e equação de segundo grau. Potência é a única coisa que lembro. E, mesmo assim, outra potência. Que buscamos firmes, bravos e fortes. Se é que me entende. De resto, esqueci. Admito. Devo ser um imbecil.

Leia também: Corinthians é cirúrgico, Sidcley vai bem e time goleia o Paraná fora de casa

Vi o jogo todo entre Ceará e Tricolor. Mas já faz tempo. Quanto foi mesmo?

    Leia tudo sobre: Futebol