Tamanho do texto

Um homem britânico de 40 anos faleceu enquanto trabalhava na reforma do estádio Khalifa International, sede de jogos da Copa do Mundo de 2022

Proposta de reforma do estádio Khalifa Internacional, Copa do Mundo Catar 2022
Reprodução
Proposta de reforma do estádio Khalifa Internacional, Copa do Mundo Catar 2022

Um homem de origem britânica morreu nesta quinta-feira (19) enquanto trabalhava na reforma do estádio Khalifa Internacional, um dos palcos do Mundial de 2022, no Catar.

Leia mais: Bebidas alcoólicas serão proibidas durante a Copa do Mundo no Catar

O Khalifa International Stadium é um dos estádios mais tradicionais do Catar e é constantemente sede de jogos da seleção nacional. A reforma projeta o aumento da capacidade de 40 mil para 68 mil pessoas e o fim das obras está previsto para até o meio deste ano.

A reforma do "mais histórico estádio do Catar" está sendo supervisionada por uma empresa belga, em parceria com uma companhia local. Ambas ainda não se pronunciaram sobre o caso.

O comitê organizador da Copa do Mundo de 2022 anunciou o incidente por meio de um comunicado. A identidade da vítima de 40 anos não foi divulgada e uma investigação foi aberta pela organização para descobrir a causa do imprevisto.

Leia mais: Copa 2022 no Catar começará em novembro e a final será em 18 de dezembro

Confira o comunicado na íntegra:

"As autoridades relevantes foram identificadas e os parentes próximos foram informados. Uma investigação imediata sobre a causa desta fatalidade foi aberta e mais detalhes serão divulgados em seguida. O Supremo Comitê para Entrega e Legado expressa suas mais profundas condolências à família por sua perda."

A Fifa "lamentou profundamente a morte" no estádio. "É com muita tristeza que nós enviamos nossas sinceras condolências para a família e colegas da vítima", declarou a Federação Internacional de Futebol.

Leia mais: Imigrante processará Fifa por exploração de trabalho no Catar

Polêmicas

Esta é a quinta morte de trabalhador em obras do Mundial anunciada pelo comitê organizador. Embora apenas uma delas tenha sido relacionada à acidente de trabalho, diversas denúncias têm aparecido em relação à exploração trabalhista, sobretudo imigrantes.

Em maio do ano passado, a Anistia Internacional, ONG que defende os direitos humanos, reportou abusos à trabalhadores para a realização da primeira Copa no Oriente Médio. A organização alertou a violação das condições de trabalho e moradia dos operários no país.

Estima-se também que mais de mil pessoas já morreram desde 2011 enquanto trabalhavam em obras relacionadas ao Mundial no Catar. Embora as obras nos estádios só tenham começado em 2014, os demais acidentes aconteceram em construções e reformas de hotéis, estradas e empreendimentos.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas