Tamanho do texto

A Fifa pagará cerca de R$ 520 mil ao clube brasileiro devido à lesão sofrida pelo goleiro no cotovelo direito, que o impediu de jogar por três meses

Eduardo Baptista, técnico do Palmeiras e o goleiro Fernando Prass
Cesar Greco/ Ag.Palmeiras
Eduardo Baptista, técnico do Palmeiras e o goleiro Fernando Prass

O Palmeiras vai receber R$ 520 mil da Fifa pela lesão sofrida por Fernando Prass na seleção brasileira durante os treinos preparatórios para as Olimpíadas do Rio.

Leia mais: Após furtos, vigias fazem segurança noturna ao redor do Maracanã

Na ocasião, o goleiro do Palmeiras teve uma fratura no cotovelo direito, que fez com que Prass ficasse afastado praticamente todo o segundo turno do Brasileirão.

A entidade máxima do futebol concedeu ao pedido de indenização feito pelo departamento jurídico do Verdão e vai compensar o clube financeiramente pelo período que o goleiro ficou em recuperação.

Depois da fratura em julho, Fernando Prass passou por uma cirurgia em agosto e ficou sem jogar por cerca de três meses.

Leia mais: Relógios de luxo da Fifa são furtados antes de premiação de melhores do mundo

Proteção aos clubes

Em 2012, a Fifa criou um programa de proteção aos times que cedem jogadores para suas respectivas seleções em torneios ou partidas oficiais reconhecidas pela entidade. O programa busca reduzir eventuais prejuízos dos clubes.

Desde 2016 os Jogos Olímpicos foram incluídos nos mecanismos da Fifa, fato que motivou o pedido do clube brasileiro.

O pagamento ao Palmeiras será feito em duas parcelas: a primeira, cerca de R$ 360 mil já foi recebida pelo Verdão. Enquanto isso, a segunda parcela será efetuada em janeiro, com pouco mais de R$ 135 mil.

A quantia total da indenização foi calculada de acordo com a duração do afastamento e também do salário de Prass. Além disso, o valor não considera os ganhos por direitos de imagem.

Leia mais: Ataque reforçado? Santa Cruz apresenta "sósias" de Luis Fabiano e Guerrero

De volta

O último jogo de Fernando Prass antes da lesão foi no dia 17 de julho de 2016, em Porto Alegre, contra o Internacional. Sua volta ao campo com a camisa 1 do Verdão aconteceu no segundo tempo da partida contra a Chape, dia 27 de novembro. A vitória deu ao clube a confirmação do título do Campeonato Brasileiro. 

Na última terça-feira (10), o goleiro se reapresentou ao Palmeiras e já participou de testes físicos. Na temporada 2017 deve voltar como titular do time, agora comandado por Eduardo Baptista.

    Leia tudo sobre: futebol