Tamanho do texto

Michel Temer foi outro que aceitou o convite do Governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, para ir à cidade homenagear as vítimas

Gianni Infantino, presidente da Fifa eleito em fevereiro de 2016
Divulgação/Fifa.com
Gianni Infantino, presidente da Fifa eleito em fevereiro de 2016

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, cancelou seus compromissos para viajar ao Brasil e prestar homenagem aos jogadores e comissão técnica da Chapecoense que perderam a vida no acidente aéreo desta semana. Quem também confirmou presença no velório coletivo foi o técnico da seleção brasileira, Tite.

Leia mais: Colombianos lotam estádio em homenagem às vítimas do acidente da Chapecoense

De acordo com informações do Estadão, o presidente  ainda prepara um tributo ao clube durante a festa do melhor jogador do mundo, que acontecerá em Zurique, no dia 9 de janeiro de 2017. Até então não há confirmação de possível assistência financeira à Chapecoense.

Já o técnico invicto da seleção brasileira cancelou viagem à Europa para ir até Chapecó. O treinador iria para o Velho Continente com o intuito de assistir alguns jogos que envolvem jogadores brasileiros, entre eles, Barcelona x Real Madrid.

Tite cancelou viagem à Europa para ir ao velório coletivo em Chapecó
Pedro Martins / MoWA Press
Tite cancelou viagem à Europa para ir ao velório coletivo em Chapecó

Após a notícia do acidente, Infantino expressou sua tristeza e chamou a notícia de chocante e trágica. "Este é um dia muito, muito triste para o futebol. Neste momento difícil, nossos pensamentos estão com as vítias, suas famílias e amigos. A Fifa gostaria de estender suas mais sentidas condolências para os torcedores da Chapecoense, à comunidade do futebol e às mídias brasileiras".

Infantino estava convocado para assistir à final da Copa do Mundo sub-20 de futebol femino (Coréia do Norte x França) que acontecerá em Nova Guiné no próximo sábado (3). No entanto, solicitou alteração na agenda e virá ao Brasil para participar do velório coletivo na cidade de Chapecó.

Leia mais: Falta de combustível causou queda de avião, diz aviação civil colombiana

Presença de Michel Temer

O governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, disse nesta quinta-feira (1°) que Michel Temer aceitou seu convite para visitar a cidade catarinense de Chapecó. Segundo ele, a visita será nesta sexta-feira (2). 

“Eu convidei o presidente Temer para visitar a cidade, e ele aceitou. A previsão é que ele chegue amanhã”, disse o governador após reunir-se com o Temer no Palácio do Planalto. Raimundo, no entanto, disse não saber se Michel participará do velório das vítimas do acidente aéreo.

Velório

O vice-presidente da Chapecoense, Ivan Tozzo, informou que todos os jogadores e dirigentes do clube serão velados no Arena Condá. "A nossa ideia é fazer o velório coletivo aqui no estádio. Trazer todos os mortos para cá. Todas as pessoas querem dar apoio, dar um abraço. Depois disso, se fará a logística para ir a cada uma das cidades", disse. A expectativa é que 100 mil pessoas participem do ato funebre.

Na manhã desta quinta-feira (1º), todos os 71 corpos das vítimas já tinham sido identificados. Andrei Copetti, assessor de imprensa da Chapecoense afirmou que os corpos já estão preparados para serem trazidos ao Brasil na sexta-feira (2). "Ainda não temos uma hora determinada, embora esperamos que sejam transportados para cá o quanto antes. Nós ainda trabalhamos com meio-dia, mas tem a hipótese que esse horário passe para mais tarde."

Leia mais: Tripulantes dão detalhes sobre os últimos minutos antes do acidente

"Eles chegando no aeroporto, imediatamente todos serão transportados aqui para a Arena. E imediatamente após serem transportados, nós começamos o velório privado e logo após abrimos para a entrada da torcida". Em relação ao velório, somente pessoas com relação direta com a Chapecoense e jornalistas locais terão acesso ao gramado. "A questão da não presença da torcida no gramado se dá por uma questão de segurança e não por autoridades e presença de clubes. Em relação ao presidente Temer, ainda está em aberto a sua presença.", disse o dirigente.

    Leia tudo sobre: futebol