Tamanho do texto

Saída acontece em meio a suspeitas sobre a Copa de 2006, realizada no país. Ele estava no cargo desde março de 2011

O secretário-geral da Federação Alemã de Futebol, Helumt Sandrock, renunciou nesta sexta-feira ao seu cargo, uma semana antes da divulgação de um relatório sobre a candidatura da Alemanha à sede da Copa do Mundo de 2006, que incluiu uma pagamento à Fifa que despertou suspeitas.

Helumt Sandrock renunciou ao cargo de secretário-geral da Federação Alemã de Futebol
Divulgação
Helumt Sandrock renunciou ao cargo de secretário-geral da Federação Alemã de Futebol

Sandrock não viajou para Zurique, onde se realiza o Congresso da Fifa e será eleito o novo presidente da entidade, alegando problemas de saúde. Sua saída é vista como uma forma de abrir o caminho para que a federação limpe a casa, segundo disse o próprio organismo.

"Pelo bem do futebol e da federação, é necessário começar do zero de forma crível e consequente, inclusive em temas de pessoal", disse Sandrock em um comunicado divulgado pela federação.

A saída de Sandrock é a segunda de um dirigente de alto escalação da federação nos últimos meses - antes, em novembro, o presidente Wolfgang Niersbach renunciou ao seu cargo.

A cúpula da federação vem sendo muito questionada por causa de um pagamento não explicado de 6,7 milhões de euros (R$ 29 milhões) feito à Fifa e também em razão de acusações de corrupção relacionadas com a eleição da Alemanha para sediar a Copa do Mundo de 2006. Há acusações, inclusive, de compras de votos. A Fifa e Joseph Blatter, que presidia a entidade naquela época, negaram qualquer irregularidade.

Niersbach e outros ex-dirigentes da federação estão sendo investigados por uma possível evasão fiscal. Um escritório de advocacia contratado pela federação para investigar a acusação está programado para apresentar uma denúncia na próxima sexta-feira.

Sandrock foi nomeado secretário-geral em março de 2011, quando Niersbach assumiu a presidência da federação. O novo presidente será eleito em abril.