Tamanho do texto

Em entrevista coletiva no CT Joaquim Grava, meia anuncia sua ida para o Beijing Guoan. Contrato é válido por três anos

Renato Augusto em sua entrevista de despedida do Corinthians
Reprodução/Globo Esporte.com
Renato Augusto em sua entrevista de despedida do Corinthians


Nesta quarta-feira, Renato Agusto falou pela última vez como jogador do Corinthians. Em entrevista coletiva no CT Joaquim Grava, o atleta anunciou sua transferência para o futebol chinês. Eleito o melhor jogador do último Campeonato Brasileiro, Renato jogará por três anos no Beijing Guoan. 

"Minha ideia inicial era ficar, tinha proposta muito boa da Alemanha para ganhar três vezes mais do que ganho aqui. O Tite pesou naquele momento, mas quando chega um proposta irrecusável, tenho que pensar na minha família, no meu futuro", disse o jogador. 

Renato Augusto aceitou a proposta do clube chinês após recusar uma transferência para o Schalke 04, da Alemanha. O meia justificou a escolha dizendo que os vencimentos na Ásia eram muito superiores: "Era uma diferença bem grande, não tinha como negar a proposta que chegou. E é bem capaz que outros jogadores da seleção apareçam por lá". 

Questionado sobre uma possível ida de Ralf para seu novo clube, Renato mostrou não saber muito sobre as negociações: "Ouvi dizer isso agora, conversei rápido com ele. Falou que estava em negociação também. Não sei se já fechou ou não, mas está em contato com o mesmo time".

O técnico Tite também foi assunto na entrevista. Renato falou sobre a importância do treinador durante a passagem pelo clube "Tive que agradecer a ele por ter tido um ano tão bom, por ter me tornado um jogador melhor e um cara melhor. Depois ele começou a falar que sentia pena, pois tínhamos encaixado um time muito bom, mas disse que não poderia me falar para não ir porque seria ótimo para minha família", afirmou. Além disso, o meia também apontou Tite como o melhor treinador com quem trabalhou em toda sua carreira. 

Na China, Renato terá uma equipe própria para evitar a volta das frequentes lesões, cessadas nos últimos anos pelo trabalho do departamento médico do Corinthians. "Vou precisar de um staff por trás. Eu me cobro muito, então, se cair de rendimento, vou me sentir mal", falou. 

O jogador ainda assumiu a dificuldade em continuar na seleção brasileira após a transferência: "Tudo isso eu pesei. Foi uma decisão difícil, você tem poucos dias para dar uma resposta. Eu vou me preparar para estar bem caso tenha a oportunidade. É um risco que eu corro". 

Confira trechos da entrevista coletiva em vídeo do Fox Sports:

"Eu não escolhi a China, a China me escolheu. Minha ideia inicial não era essa, mas os jogadores têm 10 anos para ganhar dinheiro. Então, quando chega uma proposta dessa, que te permite pensar nos seus filhos e talvez até nos seus netos, é lógico que você balança", disse Renato. "Peço desculpas por não dar sequência ao trabalho, mas realmente foi uma situação única na minha carreira. Nunca pensei receber uma oportunidade assim. Talvez eu esteja sofrendo tanto quanto o torcedor", completou. 

Mesmo após sua saída e a de Jadson, Renato ainda acredita no grupo corintiano para a disputa da Libertadores de 2016. "Não existe jogador insubstituível. Então, pela força que a camisa tem, pela força que a torcida tem, não deixa de brigar pela Libertadores". 

Pelo Corinthians, Renato Augusto fez 122 jogos e marcou 13 gols. 2015 foi sua melhor temporada: conseguiu realizar 49 partidas e balançar as redes em sete oportunidades. Se despede do clube com os títulos do Paulistão e da Recopa em 2013, e do Brasileirão do ano passado.