Tamanho do texto

Caio Couto, técnico Campeão Brasileiro de Futebol Feminino em 2017, ressalta o que deve ser feito na modalidade na temporada mais importante dela. Treinador e gestor ainda alerta para a necessidade de criar uma base para as meninas e fala em mais qualidade na administração do Futebol Feminino

A Conmebol foi clara quanto as novas regras dos clubes que participam das competições geridas por ela: a obrigação de ter uma equipe de Futebol Feminino . Neste episódio do Resenha Futebol Clube , o primeiro de 2019, nosso convidado é o técnico Caio Couto , campeão brasileiro pelo Santos em 2017 e que já dirigiu seleções femininas de base da CBF .

Caio Couto é um estudioso do futebol de maneira geral. Tem um trabalho voltado para as quatro linhas mas no Futebol Feminino vem criando novas etapas de crescimento da modalidade. O que é muito importante a essa altura quando os principais clubes nacionais voltam atenções para as mulheres de chuteira.

Leia: Mercado da Bola Europeu

No bate papo com Caio Couto ( veja no vídeo acima ) o profissional ressalta os caminhos para se ter uma modalidade sólida. Na conversa Caio foi bem aberto e apontou que o Futebol Feminino só vai continuar crescendo se uma base para formação das meninas for levada a sério por todos que aderem a modalidade olímpica .

Inclusive Caio Couto revela também a diferença entre trabalhar com mulheres e homens. Além de atleta profissional foi treinador de base dos princiapis clubes cariocas e participou ativamente do crescimento do futebol para mulheres ( veja no vídeo acima ).

Leia: City banido da Champions?

Você vai perceber neste episódio do Resenha Futebol Clube que Caio Couto conversa sobre futebol de maneira didática e fácil de entender. O profissonal deixa claro que não há segredo na administração do departamento e sim a vontade de empreender e de supreender. 

Caio Couto também revela que, mesmo apaixonado pelo trabalho de campo, pensa em um dia gerir o departamento de futebol de um clube. Conhecimento e ideias para isso ficam claras na entrevista ( veja no vídeo acima ).

Certo é que o Futebol Feminino onde Caio Couto realizou seu último e vencedor trabalho vai precisar de profissionais que tenham a disposição pela mudança.  E toda essa reviravolta que a modalidade está por dar em 2019   também aponta que é preciso que os clubes enxerguem potencial de investimento e retorno nas meninas. Observando as redes sociais , as transmissões, o engajamento do público nos estádios, em finais de campeonatos envolvendo o Futebol Feminino , que essa é uma realidade positiva, de crescimento e que as autoridades esportivas   sigam observando com carinho.