Tamanho do texto

Se foi o mais 9 de todos os 9

Coutinho, ídolo do Santos
Arquivo iG Esporte
Coutinho, ídolo do Santos

Eu não tive o privilégio de ver Coutinho jogar no ataque mais fantástico que já surgiu na história do futebol. 

Leia também: Confira mais colunas de Maurício Bonato no "Fala, Bonatovsky"

Fiel escudeiro de Pelé, Coutinho era mais do que isso: ele se completava e “O Rei do Futebol” era completado por ele, quer dizer que ambos se completavam e vice e versa. Uma dupla infalível. Um abria espaço para o outro. 

Provavelmente Pelé não teria sido Pelé se não tivesse jogado ao lado de Coutinho.

Hoje o termo “arco e flecha” volta com tudo nas transmissões esportivas, quem poderia imaginar, podemos lembrar de várias duplas que fizeram jus a essa alcunha, mas nenhuma engraxará as chuteiras surradas de Coutinho & Pelé.

Leia também: Renato Gaúcho, o Brasil não pode ser tão ingrato com você

A dupla do Santos e da seleção que calou tantos estádios, como em 1963 na final da Libertadores em plena “La Bombonera” do Boca Juniors que mesmo calado, assistiu de boca aberta ao show de bola dos dois.

Coutinho fez trio histórico no Santos ao lado de Pelé e Pepe
Arquivo iG Esporte
Coutinho fez trio histórico no Santos ao lado de Pelé e Pepe

Nem o anit-herói Robin Hood entende tanto de arco e flecha como Coutinho & Pelé ou Pelé & Coutinho. Nem Eros, o Deus mítico grego, mais conhecido como “Cupido”, sabe mais do ofício do que essa dupla fenomenal que fez a bola se apaixonar por ela. Foi amor à primeira vista.

Leia também: Obrigado, craque Roger Federer! Sem mais

A grande área que já anda tão vazia, carente de bons nomes, fica mais triste. O futebol fica mais triste. A bola que sempre reverenciou o “camisa 9”, agora sossega, em algum lugar lá no céu, apaixonada e iluminando o mais 9 de todos os 9. Adeus, Coutinho .

Coutinho, ex-atacante do Santos, fez sucesso nas décadas de 60 e 70
Reprodução
Coutinho, ex-atacante do Santos, fez sucesso nas décadas de 60 e 70


    Leia tudo sobre: Futebol