Tamanho do texto

Aos 29 anos, jogador do Cleveland Cavaliers teve ataque de pânico durante intervalo de partida e desde então, dá mais atenção à sua saúde mental

Kevin Love é um astro do Cleveland Cavaliers
Reprodução
Kevin Love é um astro do Cleveland Cavaliers

Uma vez campeão da NBA e cinco vezes All-Star, Kevin Love é um dos importantes nomes do Cleveland Cavaliers. Filho do ex-jogador Stan Love, o californiano fez uma revelação que chocou os fãs. Em um texto publicado no site The Players' Tribune , o astro do time de Ohio contou ter tido ataque de pânico durante uma partida da temporada já da 2017/2018.

Leia também: Ídolo do Raptors, DeMar DeRozan fala sobre depressão: "O mundo acima de você"

"No dia 5 de novembro, bem depois do intervalo do jogo contra o Atlanta Hawks, eu tive um ataque de pânico. Veio do nada. Nunca tinha tido um antes. Eu nem sabia se eles eram reais. Mas foi real – tão real quanto uma mão quebrada ou uma torção no tornozelo. Desde aquele dia, quase tudo que eu penso sobre minha saúde mental mudou", escreveu Kevin Love , que em janeiro de 2018, fraturou a mão e ficou de fora do Jogo das Estrelas.

O incidente aconteceu dois meses depois do jogador ter completado 29 anos de idade. E de acordo com os próprios relatos do ala-pivô, alguns fatores contribuíram para o ataque de pânico . Problemas com a família, falta de sono e as expectativas criadas e cobradas dentro de quadra foram cruciais para o ocorrido.

Leia também: Vítima de tiroteio na Flórida é enterrada com camisa de ídolo do Miami Heat

"No intervalo, tudo veio à toa. O técnico Tyronn Lue pediu tempo no terceiro quarto. Quando estava indo para o banco, senti meu coração batendo mais rapidamente que o normal. Então, comecei a ter problemas para respirar. É difícil descrever, mas tudo estava girando, como se meu cérebro estivesse tentando sair da minha cabeça. O ar parecia pesado. Minha boca parecia giz. Lembro do assistente técnico gritando algo sobre nossa defesa. Eu acenei com a cabeça, mas não ouvi muito o que ele disse. Naquela altura, eu estava pirando. Quando levantei para caminhar, sabia que não podia voltar para o jogo. Eu literalmente não conseguia fisicamente", relembrou.

Ele ainda contou que entrou no vestiário e ficou perambulando de sala em sala. "Era como se meu corpo tentasse me dizer 'Você está para morrer'. E eu terminei deixado no chão, tentando o máximo de ar para respirar", disse. Em seguida, foi encaminhado a um hospital no qual realizou diversos exames, mas nenhum positivo.

Leia também: Kobe Bryant sobre receber o Oscar: "Melhor que ganhar um título"

Volta por cima

Dois dias depois do ataque de pânico, Love entrou em quadra contra o Milwaukee Bucks e marcou 32 pontos na vitória do Cavaliers . Desde então, vem fazendo terapia. "Por 29 anos, pensei sobre a saúde mental como o problema de outra pessoa. Claro, eu sabia em algum nível que algumas pessoas se beneficiaram ao pedir ajuda ou ao se abrir. Eu nunca pensei que fosse acontecer comigo. Para mim, era forma de fraqueza que poderia descarrilar o meu sucesso no esporte ou me fazer parecer estranho ou diferente. Então veio o ataque de pânico", confessou.

"Estou apenas começando a fazer o duro trabalho de me conhecer. Durante 29 anos, evitei isso. Agora, estou tentando ser sincero comigo mesmo. Estou tentando ser bom para as pessoas na minha vida. Estou tentando enfrentar as coisas desconfortáveis ​​da vida, enquanto também desfruto e sou grato pelas coisas boas. Estou tentando abraçar tudo, o bom, o mal e o feio. Quero terminar com algo que estou tentando lembrar sobre esses dias: todos estão passando por algo que não podemos ver", completou Kevin Love.

    Leia tudo sobre: NBA
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.