Tamanho do texto

Depois de 10 anos no basquete espanhol e outros sete na NBA, a principal liga do mundo, Tiago Splitter vai deixar as quadras aos 33 anos de idade

Tiago Splitter foi o primeiro jogador do Brasil a ser campeão da NBA
Reprodução
Tiago Splitter foi o primeiro jogador do Brasil a ser campeão da NBA

Em 2014, quando vestia a camisa do San Antonio Spurs , o catarinense Tiago Splitter se tornou o primeiro brasileiro a ser campeão da NBA. Após sete temporadas na principal liga de basquete do mundo, o pivô anunciou sua aposentadoria . Em uma entrevista ao Sportv.com , ele confirma que deixará definitivamente as quadras aos 33 anos de idade, 10 meses depois de sua última partida oficial pelo Philadelphia 76ers, sua última franquia.

Leia também: LeBron segue no topo: confira quais são os dez jogadores que mais ganham na NBA

"Vou parar de jogar. É uma decisão que tomei nesses últimos meses, não é uma coisa que eu quero, mas a lesão que tive no quadril está sendo mais problemática do que a gente achava. É um momento difícil porque você para de fazer uma coisa que fez a vida inteira. Eu me lembro de estar em uma quadra de basquete desde que lembro da minha pessoa. Conversei com minha família, minha esposa, todo mundo e, realmente, chegou o momento de pendurar o tênis", afirmou Tiago Splitter .

Leia também: Fã de LeBron é trolado ao ganhar camisa de Curry e tem reação hilária; assista

Por conta de uma cirurgia no quadril há dois anos, ficou fora dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016. No ano de 2017, deixou o Atlanta Hawks  depois de duas temporadas rumo ao Philadelphia 76ers. Na franquia da Pensilvânia, entrou em quadra em oito ocasiões mas voltou a sentir dores e para tentar voltar a jogar, precisaria passar por mais uma intervenção.

"Fiz a cirurgia no lado direito do quadril. Estava até bem. Coloquei um pedaço de metal no quadril. Fui o primeiro a jogar com uma prótese na NBA . O outro lado começou a machucar. Procurei o mesmo médico. Fiz ressonância e viram que acabou a cartilagem, gastou com o tempo. Teria que fazer a mesma coisa do outro lado se quisesse jogar. Na época, estava com 32 anos e precisaria de mais 12, 13 meses de recuperação. Não estaria mais bem fisicamente para competir com essa garotada", explicou Splitter, que iniciou a carreira pelo Ipiranga, de Santa Catarina, em 1999.

Leia também: Corrida de bebês é a coisa mais fofa que você poderia ver na rodada da NBA

Futuro

Com o seu futuro ainda incerto longe das quadras, há uma certeza: a de permanecer no meio do esporte. "Quero estar no meio do basquete, que deu tudo para mim. Cresci no basquete como pessoa. Óbvio que tenho a educação da minha família, mas a quadra, o sacrifício diário, dedicação, o esporte me deu. Não só devo ao basquete, como quero continuar nesse meio, Ser jogador de basquete é a melhor profissão do mundo. É difícil parar e fazer outra coisa", completou Tiago Splitter.

    Leia tudo sobre: NBA
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.