Vitória levou o holandês para a primeira colocação, com sete pontos à frente de Charles Leclerc, da Ferrari, que não completou a prova
Reprodução/Red Bull Racing
Vitória levou o holandês para a primeira colocação, com sete pontos à frente de Charles Leclerc, da Ferrari, que não completou a prova

O Grande Prêmio da Espanha mudou a tabela do mundial de pilotos. A corrida, vencida por Max Verstappen , levou o holandês para a primeira colocação, com sete pontos à frente de Charles Leclerc, da Ferrari, que não completou a prova. Lewis Hamilton, que após uma boa largada foi tocado ainda na primeira volta, chegou a ficar na 19ª posição, mas fez uma boa corrida de recuperação e terminou em 5º.

A corrida, a princípio, parecia desenha para uma vitória da Lecler, talvez até com uma dobradinha da Ferrari, com Sainz, que corria em casa, chegando em segundo. Porém, pouco depois da 10ª volta, o espanhol rodou sozinho e foi encerrou as chances de um pódio da Ferrari.

Leclerc liderava sozinho a corrida, sem ser incomodado, deixando o ponto alto da corrida para George Russell, da Mercedes, e Verstappen, da Red Bull, o protagonismo da corrida. Por mais de dez voltas eles batalharam pela segunda posição. No meio desta batalha, Leclerc viu o seu carro perder potência e desistiu da prova.

Russell assumiu a liderança. Sergio Perez, da Red Bull, pediu a equipe que Verstappen o deixasse passar para que ele atacasse o piloto da Mercedes. A troca, que não foi autorizada, aconteceu quando o holandês foi para o box. Perez, sem muita dificuldade, ultrapassou Russell.

Quando foi a vez do britânico entrar no box, Verstappen o ultrapassou e Perez foi obrigado pela Red Bull a entregar a posição para Verstappen, que liderou até o fim e venceu a corrida. Perez ficou em segundo e Russell em terceiro.

"Meu DRS não estava funcionando bem. Um começo difícil, mas um bom fim. Estou muito feliz por vencer e também muito feliz pelo Checo. Um grande resultado para a equipe", disse Verstappen, que atribuiu ao DRS a dificuldade em ultrapassar Russell.

Hamilton e Sainz tiveram ótimas corridas de recuperação. Ambos brigaram até o fim pela quarta e quinta posições.

Logo na primeira volta Hamilton foi tocado por Kevin Magnussen e precisou ir para o box trocar os pneus. Ele voltou para a prova na 19ª posição. Algumas voltas depois, Sainz rodou sozinho, quando estava em 6ª e caiu para 12º.

Hamilton, inclusive, chegou a cogitar a abandonar a corrida. Em uma conversa por rádio com seu engenheiro, que foi divulgada durante a corrida, o inglês sugeriu que ele deixasse a prova para poupar o motor para as provas seguintes. Ele foi convencido pelo engenheiro de que ele deveria continuar porque tinha chances de chegar entre os oito primeiros.

Do meio para o fim da prova, Hamilton e Sainz colocaram pneus macios e conseguiram melhorar o desempenho na prova. O piloto da Mercedes chegou a ficar em 4º, com Sainz em 5º, mas na penúltima volta eles inverteram as posições. A Mercedes informou que houve um problema no carro de Hamilton.

O próximo grande prêmio será no fim de semana que vem, em Mônaco. Charles Leclerc estará correndo em casa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários