Tamanho do texto

Apesar do desejo do Rio de Janeiro de receber a corrida, o governador de São Paulo cravou que ela permanecerá em São Paulo

Lance

circuito de Interlagos arrow-options
Divulgação
Prefeitura e estado confiam que GP de Fórmula 1 continuará sendo disputado em Interlagos

O governador de São Paulo, João Doria, disse que “a Fórmula 1 não vai sair da cidade”, mesmo com seu contrato chegando perto do fim na próxima temporada, antes dos planos da construção de um novo autódromo na periferia do Rio de Janeiro.

Leia também: Jean Todt fala sobre recuperação de Schumacher: “Vimos a corrida em sua casa"

O Grande Prêmio de Fórmula 1 do Brasil acontece no circuito de Interlagos , em São Paulo, desde 1990, mas o contrato atual para permanecer no calendário chega ao fim em 2020.

O GP do Brasil não é o mais bem sucedido em receita, mas atrai alguns dos maiores públicos de TV em todo o mundo, devido às grandes corridas que ocorreram ao longo dos anos.

Uma proposta foi feita e aprovada pelo presidente Jair Bolsonaro no início do ano, para uma nova instalação de automobilismo ser construída em Deodoro , nos arredores do Rio de Janeiro, para levar o GP do Brasil para lá.

Mas o governador de São Paulo , João Doria , afirmou, em entrevista ao Terra, que a corrida permanecerá em Interlagos. “A Fórmula 1 não vai sair de São Paulo. Fique certo de que continuará aqui. Havia muito desejo do Rio ter a F1, mas de São Paulo não vai sair. Não vamos permitir que a F1 saia”.

Leia também: Novo autódromo de Deodoro: negócios pouco transparentes e falta de recursos

Um contrato ainda está para ser assinado entre São Paulo ou Rio de Janeiro, além do atual de Interlagos, que termina no ano que vem. “Estamos fazendo acordo com a Liberty, para que a Fórmula 1 continue aqui em São Paulo”, completou Doria.