Publicidade
Publicidade - Super banner
Pan
enhanced by Google
 

Softbol quer usar Pan como vitrine para voltar a ser olímpico

Potência do esporte, Estados Unidos lideram campanha para que modalidade volte a seus dias de glória

Ana Carolina Cordovano, especial para o IG, de São Paulo |

Divulgação/Ministério do Esporte da Venezuela
Mariangee Bogado é uma da estrelas da Venezuela
Excluído do programa das duas próximas Olimpíadas (Londres-2012 e Rio-2016), o softbol quer usar os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara como vitrine. Sem engolir a decisão do COI (Comitê Olimpico Internacional), a seleção norte-americana, potência do esporte, fará o que for possível para mostrar que o softbol merece voltar a ser olímpico. O torneio no Pan começa nesta segunda, às 12h de Brasília.

Leia mais: musa é a grande ausência do Pan

"Tudo que pudermos fazer para ajudar o softbol a voltar às Olimpíadas, faremos. Um bom Pan pode ajudar nosso esporte", disse a norte-americana Chelsea Thomas. O softbol esteve em quatro edições de Olimpíadas - Atlanta-96, Sydney-2000, Atenas-2004 e Pequim-2008. Os EUA foram ouro nas três primeiras disputas. Na China, o Japão venceu e deixou as norte-americanas com a prata.

Campeã de sete das oito edições de Pan - são 78 vitórias e três derrotas -, os EUA vieram para o México com um time jovem, com média de idade de 22 anos. Para quem acompanhou o esporte no Pan do Rio-2007, a grande ausência é Jennie Finch, destaque dentro e fora de campo. A bela jogadora se aposentou depois de ajudar a equipe a conquistar o Mundial de 2010, em Caracas, na Venezuela.

A segunda força do continente é o Canadá. A seleção vem de bons resultados - foi bronze no Mundial - e acredita que pode conseguir o feito de 1983, em Caracas, quando conquistou o ouro. "Temos uma boa oportunidade de vencê-las (as norte-americanas) neste ano", acredita o diretor de marketing do Comitê Olímpico Canadense, LeBlanc Gilles.

Quinta colocada no Mundial, a Venezuela também chega otimista para o Pan. No Rio, dividiu a prata com as canadenses, mas não houve a semifinal porque o complexo que recebeu o softbol ficou em péssimas condições depois de fortes chuvas. O destaque da equipe é Mariangge Bogado.

Cuba , Argentina e República Dominicana correm por fora. Como o torneio no Pan classifica os quatro melhores para o Mundial de 2012, no Canadá, os países vão duelar pela quarta vaga. O Brasil não disputa o Pan.

Logo na primeira rodada do softbol, os EUA enfrentarão a Venezuela. A partida está marcada para 21h de Brasília. O curioso do softbol é que os times fazem dois jogos por dia. Confira a rodada completa: 12h, República Dominicana x Porto Rico; 14h, México x Venezuela; 16h, Argentina x Cuba; 19h, Canadá x Porto Rico; 21h, EUA x Venezuela; e 23h, México x República Dominicana.

 

Getty Images
Os fãs de Jennie Finch, ex-estrela da seleção norte-americana de softbol, sentirão sua falta em Guadalajara

Leia tudo sobre: softbolpan 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG